Geral

Ato pró-Bolsonaro em Brasília termina; 20 mil participaram, segundo a PM

COMPARTILHE
36
Advertisement
Advertisement

Em ato de apoio ao governo Bolsonaro em Brasília que começou por volta das 10h, os manifestantes começaram a se dispersar no início da tarde deste domingo (26). A maior concentração aconteceu no gramado localizado em frente ao Congresso Nacional. Segundo a estimativa da Polícia Miliar, 20 mil pessoas participaram do protesto, que foi encerrado por volta das 13h30.

Casos ainda aumentam no Brasil e protestos podem disseminar covid-19, diz Opas

Gerente de Vigilância à Saúde e Controle e Prevenção de Enfermidades da Organização Pan-Americana...

Em nota ao MP, Fiocruz afirma que não é hora de relaxar isolamento no Rio

Em nota enviada ao Ministério Público, a Fiocruz afirma que agora não é o...

SP tem 118 mil casos e 7.994 mortes por covid-19, diz secretário de Saúde

O secretário de Saúde do Estado de São Paulo, José Henrique Germann, informou que...

Os parlamentares do chamado Centrão foram alvo de críticas dos manifestantes, que defenderam a aprovação de pautas encampadas pelo Executivo, como a reforma da Previdência e o pacote anticrime do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. “Centrão, fica aqui o aviso, se não tiver a nova Previdência, o negócio vai feder”, disse um dos participantes no microfone.

Dos trios eléricos, o nome do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi citado diversas vezes de forma negativa. Uma das faixas pedia #foraMaia e #foraSTF, corte que também foi alvo de insatisfação durante o ato. Um grupo de pessoas em um dos trios elétricos se fantasiou de lagosta, em forma de protesto ao edital do STF que prevê refeições com lagosta e vinhos com premiação internacional.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Outro assunto bastante recorrente entre os manifestantes foi o pedido para que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) fique nas mãos de Moro. O ministério que irá coordenar as atividades do Conselho será definido pelo Congresso, que vota a reforma administrativa do governo Bolsonaro. A Câmara já votou para que o Coaf fique com Ministério da Economia.

Amanda Pupo
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.