Geral

Petroleiros aderem a paralisação contra cortes na educação e atrasam jornada

COMPARTILHE
26
Advertisement
Advertisement

Petroleiros aderiram às manifestações contra os cortes do governo no orçamento da educação, que acontecem em todo o País. No Estado de São Paulo, empregados das refinarias Replan e Recap atrasaram em cerca de duas horas o início da jornada de trabalho pela manhã, informou o Sindicato dos Petroleiros Unificados de São Paulo (Sindipetro Unificado-SP). O movimento não teve efeito na produção.

Escolas públicas e privadas de São Paulo devem retomar aula presencial em agosto

As escolas devem voltar a funcionar em São Paulo no início de agosto, com...

PF mira em superfaturamento de 850% na compra de máscaras no Tocantins

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira, 3, a Operação Personale para apurar suposto...

Manifesto assinado por entidades ambientalistas questiona independência da PGR

150 entidades de defesa do meio ambiente assinaram um manifesto pedindo ações do Ministério...

“Os sindicatos da Federação Única dos Petroleiros (FUP) promoveram mobilizações em todo País, em protesto ao corte de investimentos na educação, à precarização das instituições públicas de ensino, à reforma da Previdência e às tentativas do governo de privatizar a Petrobras”, afirmou o Sindipetro Unificado-SP em comunicado oficial.

As manifestações nas entradas da Replan e da Recap contaram com a participação de trabalhadores próprios e terceirizados da estatal, além de professores e representantes de outras categorias, segundo o sindicato.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

A Petrobras, por meio de sua assessoria de imprensa, respondeu que “não houve paralisação ou qualquer impacto na produção das refinarias da Petrobras nesta quarta-feira”.

Fernanda Nunes
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.