Segurança

Laudo aponta suicídio, mas polícia ainda aguarda resultado de DNA de Jonas Amaral

COMPARTILHE
4307
Advertisement
Advertisement

O resultado do laudo cadavérico do corpo dado como de Jonas Amaral, agressor de Jane Cherubim, indica que a causa da morte foi suicídio.

A confirmação é do titular da delegacia de Guaçuí, José Maria Simão, que investiga o caso. A polícia ainda aguarda o resultado de exame de DNA do cadáver, que deve ficar pronto no dia 23 deste mês.

“Pelo exame das partes remanescentes do cadáver, não foi evidenciado qualquer sinal ou vestígio de ação violenta e a ausência de quatro elementos dentários se deu após a morte. Com respaldo nesse laudo, o caso é tratado como suicídio”, relatou José Maria.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Ainda de acordo com o delegado, a Polícia aguarda somente o resultado de exame de DNA do cadáver, para confirmar que o corpo é de Jonas do Amaral

O corpo de Jonas foi encontrado no último dia 23 em avançado estado de decomposição em uma mata na localidade de Forquilha do Rio, em Dores do Rio Preto. O local fica próximo de onde ocorreu o espancamento da então namorada Jane, no dia 4 de março.

Relembre o caso

Na segunda-feira (4) de Carnaval, Jane Cherubim, 36 anos, foi encontrada pelos irmãos desacordada, seminua e com o rosto desfigurado às margens de uma estrada em Dores do Rio Preto, região do Caparaó, após ter sido brutalmente espancada pelo namorado.

Jonas Amaral estava foragido desde o dia do crime, quando seu corpo foi encontrado no último sábado (23) por populares, próximo ao local onde Jane foi espancada. A polícia pediu exame de DNA apesar de familiares terem reconhecido o corpo.

Advertisement

Vídeo falso

Na última semana um vídeo circulava pelas redes sociais mostrando um homem saindo de um matagal que poderia ser o assassino de Jonas Amaral.

No entanto, segundo a Polícia Civil o vídeo é falso. O delegado José Maria Simão, que está à frente das investigações do caso Jane Cherubim, afirmou a reportagem que a gravação foi feita antes mesmo das agressões contra Jane, no dia 4 de março. O delegado confirmou, ainda, que também há áudios de possíveis ameaças à Jonas Amaral, que estão circulando em grupos de Whatsapp e outras redes sociais estão sendo analisados, para depois então serem tomadas as medidas cabíveis.

“Esses vídeos que estão circulando são falsos e foram feitos antes mesmo do fato ter ocorrido. O problema é que as pessoas estão querendo distorcer um caso que já está praticamente concluído”, afirma o delegado.

 

Advertisement
Publicidade