EXPOSUL RURAL

Espetáculo “Vírgula” conta história de superação de vida na ExpoSul

COMPARTILHE
140

O Senar traz para a ExpoSul o espetáculo “Vírgula”, que volta aos palcos do Sul do Espírito Santo com uma apresentação única em Cachoeiro de Itapemirim. A peça conta a história de superação da bailarina Sandra Motta, que enfrentou o câncer de mama com muita leveza e bom humor e transformou em arte um diagnóstico de câncer de mama.

Organização da ExpoSul comenta cobertura do AQUINOTICIAS.COM no evento

Confira a entrevista com o presidente do Sindicato Rural de Cachoeiro de Itapemirim, Wesley...

Exposição de Esportes de Aventura elevou adrenalina em Cachoeiro

A 1ª Exposição de Esportes de Aventura de Cachoeiro foi realizada de quarta (10)...

ExpoSul Rural 2019 movimentou R$ 25 milhões em negócios

A ExpoSul Rural 2019, realizada de quarta (10) a domingo (14), no Parque de...

“Vai ser uma ótima oportunidade apresentar nosso espetáculo para um público, em grande maioria de mulheres da área rural, aqui na ExpoSul. A peça foi pensada com muito cuidado, utilizando uma linguagem acessível para todos os públicos. Estamos ansiosos”, afirma Sandra.

A bailarina recebeu o diagnóstico em abril 2017 e diferente da maioria das pessoas, decidiu encontrar uma alternativa para enfrentar a notícia recebida, e decidiu levar para os palcos tudo o que viveu durante o tratamento da doença.  Fez da experiência de superação um espetáculo solo de dança-teatro e no início do ano seguinte já estava curada.

Continua depois da publicidade

Com leveza e bom humor a peça “Vírgula” pretende fazer o público rir e se emocionar, além de enxergar as próprias adversidades que a vida oferece, com mais naturalidade. Uma mulher mastectomizada, que fica careca durante um tratamento de câncer de mama, por exemplo, pode descobrir que sua essência feminina vai muito além de símbolos, como peitos e cabelos.

Durante o tratamento, Sandra Motta foi convidada para o projeto “Peito Aberto”, do artista plástico Caio Cruz, que retratou, através de pinturas, mulheres mastectomizadas que conseguiram enfrentar o tratamento do câncer sem dramas, sem se sentirem “as mutiladas”. Na exposição, além de ser retratada nas pinturas, Sandra apresentou uma performance de dança contemporânea com duração de apenas 12 minutos, pois a quimioterapia tirava dela grande parte da energia que precisava para um espetáculo completo. Mesmo assim, a repercussão foi tão grande, que a bailarina decidiu montar o espetáculo solo, desta vez com cerca de 45 minutos de duração e com teatralidade dirigida pela atriz Luana Eva.

Ficha Técnica

Coreógrafa e Intérprete – Sandra Motta

Diretora Artística – Luana Eva

Figurinista – Thaís de Luca

Confecção do Figurino – Ateliê Chica Chiclete

Iluminadora – Thila Paixão

Assessor de Imprensa e coautor de texto – Guilherme Klaws

Edição Musical – Victor Schineider

Designer Gráfico – Virgílio Melotti

Produtora Executiva – Ludmila Porto

Produção – Portal Produtora Cultural

Duração: 45 min

Classificação: 12 anos

Publicidade