Cidades

Câmara de Cachoeiro sediará audiência para discussão da defesa dos direitos da criança

COMPARTILHE
65

Discutir as políticas públicas municipal e estadual de defesa dos direitos da criança e do adolescente, apresentando os programas, ações e ferramentas disponibilizados para o atendimento da sociedade é o objetivo de audiência pública que será realizada nesta quinta-feira, a partir das 14h, na Câmara de Cachoeiro.

Dentistas da prefeitura levam ações de prevenção em saúde bucal a escolas

Por meio de sua equipe de dentistas, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) vem...

Secretário preso na Operação Ouro Velho recebe liberdade provisória

O Juíz Bruno Fritoli Almeida, da Comarca de Guaçuí, concedeu o alvará de soltura...

Mesmo com caixa garantido em R$ 500 milhões, Marataízes não consegue superar problemas de alagamentos

Mesmo com recursos garantidos, de forma retroativa, em R$ 500 milhõe oriundos de um...

A audiência é organizada pelo presidente da Casa, vereador Alexon Cipriano (PROS), com o apoio dos vereadores e do deputado estadual Delegado Lorenzo Pasolini (PRP).

Representantes do Conselho Tutelar e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, além de outros organismos, também estarão presentes.

Continua depois da publicidade

Alexon diz que a audiência, que é aberta a todos os interessados, abre um canal para a apresentação de críticas e propostas para a melhoria do atendimento. “A sociedade não pode mais adiar a responsabilidade de oferecer proteção e uma vida digna aos menores”, afirma Alexon, que tenta sensibilizar as autoridades estaduais em busca da implantação de uma Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) em Cachoeiro.

Violência contra crianças

Levantamentos oficiais demonstram a gravidade da violência contra crianças e jovens no Espírito Santo. De outubro de 2017 a setembro de 2018, foram abertos 570 inquéritos com vítimas menores, sendo que 70% dos casos são referentes crimes sexuais.

Também são registrados casos de maus tratos e espancamento no ambiente doméstico; escravidão infantil e falta de assistência familiar, entre outros. Além disso, o Espírito Santo é um dos dez estados com maior número de mortes de crianças e adolescentes com armas, por envolvimento com o tráfico de drogas, que tem grande poder de aliciamento de menores em áreas de risco social.

Publicidade