Variedades

Desfile de Reinaldo Lourenço marca a abertura do SPFW

COMPARTILHE
75
Advertisement
Advertisement

Nunca diga nunca é uma máxima que se aplica perfeitamente bem à dinâmica da moda, na qual o que é brega hoje pode virar muito cool amanhã. Quem diria, por exemplo, que Reinaldo Lourenço, o estilista mais chique do Brasil, faria uma coleção toda inspirada em Miami? Pois ele fez e apresentará nesta segunda, 22, no Farol Santander, em seu desfile que marca a abertura da 47ª edição do São Paulo Fashion Week – que vai até dia 26.

Após anunciar gravidez, Mariana Rios revela que sofreu aborto espontâneo

Mariana Rios fez um post no Instagram neste sábado, 11, no qual revela ter...

Maternidade recebe reclamações após Giovanna Ewbank divulgar foto do filho

Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso divulgaram pela primeira vez uma foto do filho recém...

Os rumos de Johnny Massaro

Quando, em janeiro, o ator Johnny Massaro, 28, terminou as agitadas filmagens do longa...

Fachadas de edifícios art déco estão estampadas em saias-envelope, enquanto longos de seda magníficos ganham nuances em degradê, lembrando o pôr do sol. Peças de alfaiataria em puro linho e a camisaria chiquérrima de algodão contrastam com a sensualidade do couro e dos vestidos moldados por argolas de metal.

Poucos estilistas nacionais conseguem desdobrar um conceito criativo em linhas paralelas usando materiais tão diferentes e refinados e atraindo estilos tão diversos de clientes. É raro ver um ateliê capaz de produzir moda com esse nível de sofisticação (a equipe de costura está ali há anos).

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Detalhista, agitado e exigente, Reinaldo recebeu o jornal O Estado de S. Paulo nos momentos finais dos preparativos para o desfile. “A moda hoje é produto. Nos anos 1980 e 90, a gente tinha mais chance de mostrar o talento artístico. Hoje as pessoas querem uma roupa que elas possam usar”, diz ele, que desenhou 280 modelos para esta temporada, e colocará 50 deles na passarela.

Sempre afiado, ele analisou a relevância dos desfiles e o uso ostensivo de logos. “Nossa elite se preocupa muito com grifes”, dispara. Lembrou ainda das modelos famosas e de outras épocas, revirando registros fotográficos e looks dos desfiles passados, catalogados recentemente por um pesquisador. Guardadas em uma sala do ateliê repousam, enfim, preciosidades da moda nacional.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Maria Rita Alonso, especial para o Estado
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.