Internacional

Justiça condena ex-presidente do Peru a 3 anos de prisão

COMPARTILHE
18
Advertisement
Advertisement

A Justiça do Peru condenou a três anos de prisão preventiva o ex-presidente Pedro Pablo Kuczynski, por suposta lavagem de dinheiro ligada ao escândalo da Odebrecht, que já atingiu quatro ex-presidentes do país.

EUA: Pompeo diz que China explora morte de George Floyd com fins políticos

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, criticou duramente a China neste sábado, dizendo...

Joe Biden é oficialmente o candidato democrata à presidência dos EUA

O ex-vice presidente americano Joe Biden se tornou oficialmente o candidato democrata à presidência...

Trump critica reação do Brasil à covid e volta a provocar manifestantes nos EUA

O presidente dos EUA, Donald Trump, citou o Brasil como mau exemplo na luta...

Kuczynski estava preso provisoriamente desde a semana passada. A detenção temporária, de 10 dias, expiraria neste sábado. Na quarta-feira, o político de 80 anos teve uma crise de hipertensão e foi submetido a um cateterismo.

O promotor da Lava Jato peruana, José Domingo Perez, justificou a detenção provisória alegando que há perigo de obstrução das investigações caso o ex-presidente permaneça livre. Perez também rejeitou a solicitação de modificar o pedido de prisão preventiva para prisão domiciliar, afirmando que Kuczynski não sofre de doença grave, exigência legal para que um acusado permaneça detido em casa.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

O ex-presidente está sendo acusado de ter recebido dinheiro da Odebrecht quando era ministro da Economia no governo de Alejandro Toledo. Em 2017, a construtora brasileira revelou que pagou quase US$ 5 milhões por serviços de consultoria às empresas First Capital e Westfield Capital, ligadas a Kuczynski. Fonte: Associated Press.

AE
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.