Segurança

Mulher tortura companheiro após descobrir que ele abusava da enteada em Alegre

COMPARTILHE
10721

Um homem foi amarrado e torturado neste domingo (17) pela companheira após ela descobrir que sua filha, uma adolescente de 14 anos, estava sendo abusada pelo padrasto há pelo menos um ano. O caso aconteceu no município de Alegre.

Jovem tenta subornar PMs durante blitz e é preso com arma, munições e drogas em Cachoeiro

Um suspeito, de 21 anos, foi preso na madrugada deste domingo (13), com arma,...

Casal de Dores do Rio Preto morre em acidente após sair de festa a fantasia em Espera Feliz

Um casal morreu na manhã deste domingo (13), após sair de um festa a...

Homem é encontrado morto enrolado em tarrafa em rio de Mimoso do Sul

Um lavrador foi encontrado morto, na noite deste sábado (12), dentro do Rio Muqui,...

Com os braços e pernas presos a uma cadeira, o homem teve os pelos e as partes íntimas queimados com um isqueiro.Toda agressão foi filmada e o vídeo tem circulado em uma rede social.

A adolescente revelou sofrer os abusos durante uma consulta ao psicólogo, na última sexta-feira (15). A menina foi ouvida pelo delegado na presença do conselho tutelar e contou que era abusada pelo padrasto desde os 13 anos de idade.

Continua depois da publicidade

Segundo nota da Polícia Civil, não houve conjunção carnal. O estupro se deu por ter violentado a adolescente ao passar a mão pelo seu corpo, conforme será comprovado no inquérito.

Ainda segundo a PC, nem o padrasto, nem a mãe da adolescente foram presos. Em relação ao homem, a prática foi descoberta pela ex-esposa tempos depois do ocorrido, sem flagrante. Em relação à mulher, ela se apresentou espontaneamente à delegacia.

“Tendo em vista que não houve prisão em flagrante delito, suas condutas ainda estão sendo dissecadas, não sendo possível afirmar, no momento, por qual crime ambos responderão. Certo é, contudo, que a mulher responderá por tortura e o homem por estupro de vulnerável, podendo haver mais crimes após aprofundada análise”, diz a nota.

O homem não precisou ser levado ao hospital para tratar das lesões. Mas foi encaminhado à exame de lesões corporais no Serviço Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim.

 

 

Publicidade