Segurança

Delegado diz que polícia está empenhada em encontrar agressor de Jane Cherubim

COMPARTILHE
1201

O delegado de Guaçuí, José Maria Simão, que assumiu o caso de agressão contra a vendedora Jane Cherubim nesta semana, ressaltou que muitos policiais estão envolvidos nas investigações e que tem utilizado o serviço de inteligência para otimizar as buscas pelo agressor, Jonas  Amaral.

Polícia afirma que criminoso morto no Zumbi é um dos maiores assaltantes de Cachoeiro

A Polícia Civil afirmou que Tercílio Alves Filho, 21 anos, que foi morto na...

Protesto e toque de recolher no bairro Zumbi após morte em confronto entre PM e bandidos

Após a morte de um homem baleado em confronto com a Polícia Militar, na...

PM e PC deflagram operação em Marataízes e Itapemirim; um homem foi preso por homicídio

Uma “Operação Integrada” entre a Polícia Militar e a Polícia Civil, na manhã desta...

“Temos trabalhado incessantemente para encontrar o acusado e dar a resposta que a sociedade tanto quer nesse momento” disse o delegado.

José Maria Simão afirmou ainda que Jane foi novamente interrogada hoje (14), dez dias após o crime, e terceira vez desde que as investigações começaram. Nesta tarde, o delegado confirmou que iria para Dores do Rio Preto, local onde aconteceu a tentativa de feminicídio.

Relembre o caso

Continua depois da publicidade

Na segunda-feira (4) de Carnaval, Jane Cherubim, 36 anos, foi encontrada pelos irmãos desacordada ás margens de uma estrada em Dores do Rio Preto, região do Caparaó, após ter sido brutalmente espancada pelo namorado. Ela estava seminua e com o rosto desfigurado.

Jonas Amaral, 34 anos, agressor de Jane, ainda está foragido. A Polícia Civil em Alegre pediu ajuda à Polícia Federal, para que cartazes com a foto de Jonas fossem espalhados em aeroportos, temendo uma fuga do agressor para outro país.

O  pai e irmão de Jonas, que são suspeitos de terem dado fuga a Jonas, foram ouvidos pela polícia, mas não foram detidos.

Jane recebeu alta na tarde deste domingo (10), da Casa de Caridade de Carangolas, Minas Gerais, hospital onde ficou internada por seis dias. Ela gravou um vídeo ao lado do irmão agradecendo pelo apoio recebido.

Apesar da alta, Jane ainda vai precisar de acompanhamento médico, já que ainda sente fortes dores e tonturas, devido à gravidade das agressões. Ela está na casa de familiares, em Pedra Menina, distrito de Dores, onde recebe o carinho e a proteção da família.

 

Publicidade