Espírito Santo

Bebês de presidiárias ganham ensaio fotográfico no ES; veja as fotos

COMPARTILHE
2547
Advertisement
Advertisement

Os bebês Enzo, Manu, João e Jesus, com apenas dois, três, cinco e sete meses de vida, foram os modelos em um ensaio fotográfico, no Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC). O ensaio contou com um cenário e até fantasias feitas de crochê.

Continua depois da publicidade

Quatro mulheres dividem o alojamento interno infantil. É nesse local, preparado com berços, camas e brinquedos, que as internas permanecem em companhia dos filhos pelo período mínimo de seis meses.

Para eternizar essa fase tão especial na vida das mamães, a diretoria do CPFC promoveu, no mês de março, um ensaio fotográfico do tipo new born, para que as famílias tenham o registro das crianças quase recém nascidas. A ação faz parte do projeto “Da gestação para a vida”.

“Infelizmente, muitas dessas mães não poderão acompanhar o crescimento dos seus filhos. Com as fotos, as mães e a família terão como recordação imagens dos bebês nos primeiros meses de vida, fato que não seria possível pela condição de prisão. No futuro, a criança poderá olhar para esse registro e ver como ela era nesta fase. É algo para ficar eternizado como uma boa recordação”, enfatiza Graciele Sonegheti Fraga, diretora do CPFC.

Continua depois da publicidade

As fotógrafas Luana Andrioli e Carla Nogueira, foram convidadas pela unidade prisional a participarem da ação. Carla foi a responsável por disponibilizar os diversos cenários usados para a sessão de fotos. Entre eles: brinquedos e roupinhas para deixar o registro ainda mais especial.

Segundo a fotógrafa Luana, contribuir com um momento tão especial para as internas foi algo muito gratificante. “São pessoas que estão passando por uma situação muito difícil e contribuir com algo especial assim, levando alegria para elas, foi muito recompensador. Elas irão receber um CD, com as fotos digitalizadas. Fiquei tão grata por realizar esse trabalho que pretendo me especializar em fotos new born. Essa experiência no presídio também ficará eternizada para mim”, disse Luana.

A interna Mayara Aparecida Wanderley, mãe do pequeno João Pedro, de três meses, disse que não esperava ter o registro fotográfico do filho e que o ensaio promovido pelo CPFC foi um momento de muita felicidade para todas as mães. “As fotos foram feitas em cenários lindos. Tudo muito profissional. É uma recordação que vou guardar do meu filho para toda a vida”, disse a mãe, emocionada.

Advertisement
Continua depois da publicidade

A divulgação das imagens do ensaio fotográfico foi autorizada pelas mães dos bebês.

Como funciona o alojamento materno-infantil

No alojamento materno-infantil, bebês e lactantes recebem acompanhamento psicológico, de assistentes sociais, médicos e enfermeiros. A Lei de Execuções Penais garante a permanência dessas crianças em presídios por, no mínimo, 6 meses e/ou até os sete anos de idade, quando há estrutura para creche. É o Poder Judiciário quem delibera sobre a guarda provisória dessas crianças.

Na prática, antes de completar um ano, a guarda provisória é concedida a partir do interesse do familiar, em concordância com a interna responsável, já que em muitos casos, o pai da criança também cumpre pena por algum crime.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].