Economia

Mourão diz que não há mais como sustentar pagamento do BPC como está agora

COMPARTILHE
19

Enquanto líderes no Congresso defendem retirar da reforma da Previdência as mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC), o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou, em palestra a empresários na capital paulista nesta terça-feira, 26, que é impossível sustentar o benefício nas regras atuais.

Centrão acena com acordo e oposição vai à Justiça contra votação na CCJ

BRASÍLIA - Após a votação da reforma da Previdência ser adiada em uma semana...

"Vamos votar parecer da reforma amanhã", diz líder do governo

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), manifestou expectativa de que...

Relator da reforma da Previdência espera aprovação do texto nesta terça

O relator da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara,...

“Temos que olhar isso, não há mais como sustentar isso aí”, declarou Mourão, lembrando que o pagamento do BPC foi regulamentado para ser pago a idosos a partir de 70 anos e que a idade foi diminuindo para 67 e depois para 65. Para o vice-presidente, a atual regra incentiva pessoas a não contribuírem por saberem que vão receber um salário mínimo a partir desse período da vida.

Salário mínimo

Continua depois da publicidade

Além de defender mudanças no BPC, Hamilton Mourão declarou que é necessário “lidar com aquilo que chamamos de vacas sagradas”, fazendo uma crítica à regra de reajustar o salário mínimo pela inflação e o crescimento do PIB – legislação que precisará ser revista pelo governo de Jair Bolsonaro. Para o vice, essas “vacas sagradas “são até hoje responsáveis por muitos dos nossos problemas” porque o salário não seria, na opinião dele, realmente “mínimo”.

Daniel Weterman e Pedro Venceslau
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade