Variedades

Municipal do Rio abre ano com ópera de Carlos Gomes

COMPARTILHE
9

O Teatro Municipal do Rio abre nesta sexta-feira, 15, sua temporada 2019 com uma apresentação em concerto da ópera Condor, de Carlos Gomes – ponto de partida para um ano que tem como desafio afastar os percalços e problemas estruturais de 2018, quando a programação anunciada foi cancelada após o primeiro espetáculo.

'Como sou feliz de ter encontrado você', diz Thammy a Andressa

Thammy Miranda usou o perfil dele nas redes sociais para comemorar um ano de...

Há 100 anos nascia Tatiana Belinky, menina que queria ser bruxa e virou escritora

Uma das mais importantes e respeitadas escritoras da literatura infantojuvenil brasileira, Tatiana Belinky nasceu...

'Só Deus pode me julgar', declara MC Guimê após ser preso por porte de drogas

MC Guimê usou as redes sociais para se manifestar sobre o fato de ter...

“É hora de fortalecer a instituição”, diz o novo diretor artístico André Heller-Lopes, que já ocupara o posto em 2017. “Não dá para pensar a longo prazo na dignidade dos artistas, em autossustensabilidade sem esse fortalecimento, que passa por entender o significado de um teatro de ópera, balé e concertos no centro do Rio, assim como por uma relação maior com o público. Esse é o nosso norte.”

O Municipal anunciou a programação para o primeiro semestre. Além de Condor, estão previstas as óperas Os Contos de Hoffmann (em concerto) e Fausto (encenada), além de concertos e de um novo balé, com coreografia de Thiago Soares. “Tudo está sendo feito com o pé no chão, a fantasia fica no palco. Precisamos de seis meses para pôr a casa em ordem, deixar o palco perfeito, completar os corpos artísticos. A partir daí vamos colocar uma programação 2019/2020, 2020/21”, diz Heller.

Continua depois da publicidade

Para o segundo semestre já está confirmada, no entanto, a série Grandes Vozes, em parceria com a Ópera de Paris, que vai trazer ao Rio cantores como os tenores Michael Fabiano e Vittorio Grigolo, grandes nomes da cena internacional.

Condor é a última ópera de Carlos Gomes. “É como se fosse um enorme poema sinfônico e vocal ininterrupto”, diz o maestro Luiz Fernando Malheiro, que em janeiro assumiu a direção musical do teatro. O elenco é encabeçado pela soprano Eliane Coelho e pelo tenor Fernando Portari, que completa 30 anos de Municipal.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

João Luiz Sampaio, especial para o Estado
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade