Entretenimento

Uma tarde para relembrar o samba e o pagode dos anos 90 em Guaçuí neste domingo

COMPARTILHE
250

A música vive em ciclos, assim como outros segmentos culturais. E o tão marcante pagode dos anos 90 começou a ganhar força novamente, com eventos e grupos fazendo tributos de canções que marcaram uma geração inteira.

Miley Cyrus e Kaitlynn Carter terminam namoro de um mês

Miley Cyrus e a empresária Kaitlynn Carter terminaram o namoro de um mês, segundo...

'Frozen 2' ganha novo trailer e data de estreia; assista

A aguardada sequência das aventuras congelantes de Anna e Elsa já tem data para...

'A Fazenda': Rafael Ilha diz que gastou dinheiro do prêmio com carro e panelas

Rafael Ilha revelou de que maneira gastou o prêmio de R$ 1,5 milhão que...

Neste domingo, dia 10, a partir das 14h, no Palhence, em Guaçuí, será realizada uma tarde memorável para relembrar essas músicas imortalizadas no cancioneiro popular. O Grupo Dona Nica prepara o “Feijoada com pagode da antiga” e promete não deixar ninguém parado. As mesas para quatro pessoas custam R$ 50,00, e dá direito a quatro latas de cerveja e feijoada liberada. Já os ingressos individuais podem ser adquiridos no valor de R$ 15. Serão disponibilizadas apenas 30 mesas para o evento.

Segundo Cristiano de Oliveira Costa, mais conhecido como “O fino do pagode”, a ideia de realizar a roda de samba e pagode foi em um bate papo no Bar do Paçoca para provar que o pagode não ficou no passado e sempre lota os locais que realizam os eventos. “Resolvemos fazer esse evento e temos expectativa de casa cheia. Serão 30 mesas disponíveis, feijoada, cerveja e muito samba durante toda a tarde”, destaca Cristiano.

Continua depois da publicidade

Com um setlist nostálgico vários artistas não podem ficar de fora da roda e reviver a época de ouro do pagode, entre eles Zeca pagodinho, Jorge Aragão, Fundo de Quintal, Beth Carvalho, Dudu Nobre e muitos outros. “O samba e o pagode da antiga nunca serão esquecidos. São músicas que nunca saíram da boca do povo, sempre que puxadas, são cantadas em coro pelos presentes e muito tocadas até hoje”, finaliza O fino do pagode.

Publicidade