Cidades

Prefeitura de Cachoeiro quer oferecer curso exigido a motofretistas

COMPARTILHE
Foto: Márcia Leal/PMCI
432

Em reunião com o diretor geral do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran-ES), Givaldo Vieira, na manhã desta segunda-feira (11), em Vitória, o prefeito de Cachoeiro, Victor Coelho, solicitou autorização para que a Secretaria Municipal de Segurança e Trânsito (Semset) ofereça a motofretistas do município, gratuitamente, o curso especializado obrigatório para exercício dessa atividade profissional.

Revitalização de praça destaca antigo viradouro ferroviário de Cachoeiro

Dentre as melhorias que estão sendo feitas pela prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim, por...

Turnê pedagógica encanta alunos da rede municipal de Cachoeiro

Encantamento é a palavra que resume a primeira semana das atividades da Turnê Pedagógica...

Novos Laboratórios Móveis de Informática chegam a duas escolas de Cachoeiro

Quase mil chromebooks (computadores modernos) já estão disponíveis nas escolas da Rede Estadual de...

A proposta é que a Gerência de Educação de Trânsito da pasta e seus servidores sejam credenciados pelo órgão estadual para ministrar a capacitação, exigida por lei federal (nº 12.009/2009). Atualmente, apenas o Sest/Senat e uma autoescola oferecem o curso em Cachoeiro, ao custo de R$ 180.

“É uma forma que encontramos para contribuir com a regularização do motofrete no município, atendendo a uma reivindicação da categoria. As despesas para adequação são altas e, se conseguirmos ofertar esse curso, será menos um custo para esses trabalhadores”, o prefeito Victor Coelho.

Continua depois da publicidade

O secretário municipal de Segurança e Trânsito, Ruy Guedes Barbosa Junior, que participou da reunião, frisou que a medida já foi adotada com êxito em outras cidades brasileiras, como São Paulo. “Estamos em contato com o Detran para alinhar as providências que precisamos tomar para efetivar o credenciamento”, salientou.

A reunião foi agendada pela comissão de regularização de motofrete criada pela Câmara Municipal de Cachoeiro. No encontro, o grupo solicitou ao Detran a concessão de isenção das taxas cobradas para adequação dos veículos à atividade de motofrete.

“É um pleito importante, que nós endossamos. Mas, se não for possível a anistia, propus que, pelo menos, seja possível parcelar o pagamento do valor das taxas”, ressaltou o prefeito Victor Coelho.

“Oficializamos a criação de um Grupo de Trabalho no Detran|ES para estudar a viabilidade das demandas apresentadas com relação ao processo de regulamentação dos motofretistas e manteremos o diálogo para encaminhamentos com a Prefeitura, Câmara de Vereadores e a comissão formada por profissionais da área. O Órgão vai fazer o possível para que a segurança dos profissionais e demais condutores seja respeitada durante a atividade, e para que esta seja uma opção viável visando à geração de emprego, seguindo a legislação estabelecida no Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e de acordo com as diretrizes do Governo do Estado”, disse o diretor geral do Detran-Es, Givaldo Vieira.

A comissão de regularização do motofrete de Cachoeiro foi formada a partir de audiência pública sobre o tema, realizada pela Câmara de Vereadores, no último dia 28 de janeiro.

Em consonância com as atividades do grupo, a prefeitura suspendeu temporariamente a fiscalização referente à cobrança do certificado do curso especializado e da placa vermelha aos motofretistas. Todos os outros itens exigidos à categoria estão sendo fiscalizados.

Também participaram da reunião no Detran o secretário municipal de Governo, Paulo Miranda, e o representante dos motofretistas de Cachoeiro, Paulo Vitor Freitas.

Publicidade