Cidades

Mais de 30 mil ovos apreendidos são doados para instituições de região do Caparaó

COMPARTILHE
280

Aproximadamente 36 mil ovos foram doados para 13 instituições de Iúna, Irupi e região. A ação é resultado do trabalho de fiscalização do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf), que apreendeu, no último sexta-feira (8), uma carga sem registro no serviço de inspeção oficial.

Prefeitura de Guaçuí realiza obra em trecho da Beira Rio que estava desmoronando

A prefeitura de Guaçuí, por meio da Secretaria Municipal de Obras, Infraestrutura e Serviços...

Capixaba que recebeu achocolatado no lugar de celular será indenizada

A 1° Vara de Santa Maria de Jetibá condenou uma loja virtual, e uma...

Empresa que presta serviços para Samarco contrata moradores de Anchieta

A agência do Sistema Nacional de Emprego (Sine) de Anchieta recebeu ontem (22) funcionários...

Os produtos, oriundos de Santa Maria de Jetibá, seriam comercializados em Muriaé, em Minas Gerais. A médica-veterinária do Idaf Luciana Fischer explicou que a carga foi encaminhada para pasteurização em estabelecimento registrado no Serviço de Inspeção Federal (SIF). A empresa que recebeu do Idaf os ovos apreendidos, repassou ao Instituto ovos in natura de sua produção, totalmente inspecionados, para que fossem doados às instituições.

Fischer alerta ainda que é fundamental que as pessoas tenham ciência de que esses produtos não devem ser consumidos. “O registro junto ao Serviço de Inspeção Oficial (que pode ser municipal, estadual ou federal) permite a verificação das condições higiênico-sanitárias dos alimentos. No caso dos ovos, a ausência do processo de ovoscopia, por exemplo, impede a verificação quanto à presença de fungos, sangue, ruptura da gema ou mesmo trinca na casca, que indicam ou potencializam a contaminação dos alimentos”, orientou Fischer.

Doações

Continua depois da publicidade

O gerente do Idaf em Iúna, Michell Emerick, explicou que os alimentos doados foram entregues para a prefeitura de Irupi e coube ao órgão o repasse às escolas e creches – municipais e estaduais. Também foram destinados ao Lar dos Velhinhos do Caparaó e à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Iúna e de Irupi.

Rita de Cássia de Barros Guarnier, diretora da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Afonso Braz”, no distrito de Pequiá, em Iúna, informou que os ovos serão destinados à complementação escolar fornecida para os alunos. “Maior parte dos estudantes mora na zona rural e saem cedo de casa, o que torna a alimentação ainda mais necessária durante o tempo em que estão na escola”, disse.

Publicidade