Política Nacional

Bebianno é exonerado, confirma porta-voz da Presidência da República

COMPARTILHE
Foto: Diário Carioca
254

O porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, anunciou hoje (18) a exoneração do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno Rocha. Segundo ele, foi uma decisão de “foro íntimo” do presidente da República. Rêgo Barros leu uma nota oficial, em nome do presidente Jair Bolsonaro, informando que ele “agradece sua dedicação” e deseja “sucesso na sua nova caminhada”.

'Setor privado não investe em ditaduras', afirma Maia

Com o Congresso como um dos focos dos atos marcados para domingo, 26, o...

Câmara não conclui votação da reforma administrativa e nova sessão é convocada

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão do plenário que analisava...

Após derrota em decisão sobre Coaf, Moro agradece os 210 votos recebidos

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, agradeceu os 210 votos favoráveis...

“O excelentíssimo senhor presidente da República decidiu exonerar, nesta data, do cargo de ministro, o senhor Gustavo Bebianno Rocha. O senhor presidente da República agradece sua dedicação à frente da pasta e deseja sucesso na nova caminhada”, disse Rêgo Barros, negando que a decisão pela exoneração tenha ocorrido há alguns dias.

O porta-voz confirmou que o general Floriano Peixoto assumirá de forma definitiva a Secretaria-Geral da Presidência. A pasta é responsável pela implementação de medidas para modernizar a administração do governo e avançar em projetos em curso. É uma das pontes entre o Palácio do Planalto e a sociedade.

Exoneração

Continua depois da publicidade

Bebianno, presidente do PSL na época da campanha eleitoral, é suspeito de irregularidades no repasse de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha para candidatas do partido.

Questionado, Bebianno negouparticipação nas irregularidades.

“Reitero meu incondicional compromisso com meu país, com a ética, com o combate à corrupção e com a verdade acima de tudo”, disse o ministro, em nota divulgada na semana passada.

O presidente Jair Bolsonaro determinou a investigação das candidaturas“laranjas”.

*Fonte: Agência Brasil

Publicidade