Esporte Nacional

Sem prêmios para o Brasil, Djokovic e Biles são eleitos atletas do ano no Laureus

COMPARTILHE
13

O tenista Novak Djokovic e a ginasta Simone Biles foram os grandes vencedores do prêmio Laureus deste ano. Nesta segunda-feira, o sérvio foi eleito o melhor atleta masculino do ano e a norte-americana ficou com o prêmio feminino.

Seleção masculina de vôlei sofre, mas vence Canadá em estreia na temporada

Em sua estreia na temporada, a seleção brasileira masculina de vôlei sofreu na noite...

Athletico-PR derrota o River e sai na frente na briga pelo título da Recopa

O Athletico-PR venceu o River Plate, por 1 a 0, nesta quarta-feira à noite,...

Bahia surpreende e bate São Paulo no Morumbi pela Copa do Brasil

O São Paulo mais uma vez tropeçou no Morumbi. Na despedida do estádio, que...

O golfista norte-americano Tiger Woods ganhou o prêmio de melhor retorno e a seleção francesa de futebol ficou com a premiação de melhor equipe da temporada passada. Os surfistas brasileiros Gabriel Medina e Maya Gabeira estavam concorrendo ao prêmio de melhor atleta de ação, mas foram derrotados pela norte-americana Chloe Kim.

O sérvio conquistou o prêmio pela quarta vez. “O Laureus é o que todo atleta quer ganhar e é uma grande honra para mim. Estar disputando com tantos nomes importantes do esporte e ganhá-lo é algo especial para mim. O ano passado foi incrível para mim, pois retornei de uma lesão para ganhar Wimbledon e o US Open. Eu sempre vou lembrar disso”, disse Djokovic, que concorreu com Eliud Kipchoge (atletismo), Kylian Mbappe (futebol), LeBron James (basquete), Lewis Hamilton (Fórmula 1) e Luka Modric (futebol).

Continua depois da publicidade

Com apenas 21 anos, Biles é apontada como uma das maiores ginastas de sua geração. Ela faturou quatro medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze no Mundial de 2018. A norte-americana, que também venceu o Laureus em 2017, superou neste ano cinco concorrentes: Angelique Kerber (tênis), Daniela Ryf (triatlo ironman), Ester Ledecka (esqui e snowboard), Mikaela Shiffrin (esqui) e Simona Halep (tênis).

A seleção francesa de futebol, campeã mundial na Rússia, foi eleita a melhor equipe de 2018. O técnico Didier Deschamps foi o responsável por receber o prêmio em nome do time. A disputa foi contra o Golden State Warriors (basquete), Mercedes (Fórmula 1), Real Madrid (futebol), Seleção da Europa (golfe) e time olímpico da Noruega (diversos).

Além de Djokovic, outra tenista que saiu vitoriosa foi a japonesa Naomi Osaka, eleita a revelação do ano. Com 20 anos, ela chamou a atenção do mundo quando derrotou a norte-americana Serena Willians na final do US Open de 2018. A novata ainda venceu o prestigiado Torneio de Indian Wells em março e chegou a ser a número quatro do mundo, em outubro – sua ascensão está sendo mantida nesta temporada, tanto que ela se tornou a número 1 do mundo e venceu o Aberto da Austrália. Ela superou Ana Carrasco (motovelocidade), Briana Williams (atletismo), Geraint Thomas (ciclismo), Jakob Ingebrigtsen (atletismo) e Sofia Goggia, Itália (esqui).

O golfista Tiger Woods recebeu o prêmio de melhor retorno do ano. Após passar por cirurgia nas costas, o norte-americano venceu o US Tour Championship, em setembro. Ele ainda ficou em segundo no US PGA e foi escolhido para a equipe norte-americana na Ryder Cup. Uma volta por cima com estilo do atleta, que já ganhou duas vezes o Laureus como melhor atleta masculino, em 2000 e 2001. Ele superou Bibian Mentel-See (snowboard paralímpico), Lindsey Vonn (esqui), Mark McMorris (snowboard), Vinesh Phogat (luta olímpica) e Yuzuru Hanyu, Japão (patinação artística).

No único título que o Brasil podia ter chance de ganhar, o de melhor atleta de ação, quem levou foi a norte-americana Choe Kim. Com apenas 17 anos, ela se tornou a mulher mais jovem a ganhar uma medalha de ouro de snowboard nos Jogos de Inverno, logo em sua primeira Olimpíada. A jovem atleta ainda conquistou o Superpipe no Aspen X-Games. Ela concorria com Gabriel Medina e Maya Gabeira. Além disso, estavam no páreo, Ana Gasser e Shaun White (ambos do snowboard) e Stephanie Gilmore (surfe).

E no prêmio de atleta paralímpico, a vencedora foi Henrieta Farkasova, da Eslováquia. Ela tornou-se a atleta paralímpica de inverno mais premiada em Pyeongchang com quatro medalhas de ouro no Downhill com visão reduzida, Slalom Gigante, Super Combinado e Super-G, além de prata no Slalom. A eslovaca ainda conquistou a Copa do Mundo na temporada 2018. Na premiação, superou os seguintes atletas: Brian McKeever (esqui), Diede De Groot (tênis em cadeira de rodas), Grigorios Polychronidis (bocha), Markus Rehm (atletismo) e Oksana Masters (esqui).

Daniel Batista
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade