Política Nacional

Contratos de patrocínio da Petrobras estão sob revisão, diz Bolsonaro

COMPARTILHE
10

O processo de revisão de contratos de patrocínio da Petrobras foi reforçado na manhã desta quarta-feira, 13, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em publicação na sua página oficial no Twitter. O mandatário considera que a medida oferece “maior transparência e melhor empregabilidade do dinheiro público”.

Pedro Simon: 'Existe o risco de o MDB desaparecer'

Com a autoridade de quem é filiado ao MDB desde 1965, o ex-senador e...

Bolsonaro assina decreto sobre protocolos de bem-estar animal

O presidente Jair Bolsonaro (PLS) participou da 64ª Festa do Peão de Barretos (SP)...

Senadores preparam relatório separado para rejeitar nome de Eduardo Bolsonaro

Com base em um parecer da consultoria do Senado, parlamentares preparam um relatório alternativo...

“Para maior transparência e melhor empregabilidade do dinheiro público, Informamos que todos os patrocínios da Petrobras estão sob revisão, objetivando enfoque principal dos recursos para a educação infantil e manutenção do empregado à Orquesta Petrobras”, escreveu. O presidente ainda não esclareceu como pretende destinar os recursos da estatal à educação infantil.

No último dia 6, o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) noticiou a intenção do governo em deslocar verbas de publicidade para as redes sociais e artistas menos famosos. Conforme fontes, a petroleira passou a avaliar a possibilidade de romper contratos firmados nos governos anteriores, principalmente com grandes grupos de teatro e cinema e com a imprensa profissional.

Continua depois da publicidade

No ano passado, os departamentos de cultura e imprensa da estatal acumularam gastos de quase R$ 160 milhões. Do montante, cerca de R$ 120 milhões foram destinados a iniciativas publicitárias, enquanto patrocínios culturais somaram R$ 38 milhões. Ao todo, a Petrobras tem contratos de patrocínio ativos firmados em gestão e governos anteriores que somam R$ 3,5 bilhões, conforme dados divulgados em seu site. Alguns deles se estendem até 2021.

A migração da verba de cultura e publicidade para as redes sociais e artistas de menor visibilidade já estava decidida. Diante das divergências internas e alertas para os riscos jurídicos, porém, o tema voltou a ser discutido pelos advogados da empresa, que se sustentam no argumento de corte de custos para justificar as mudanças.

Executivos da área de comunicação da Petrobras chegaram a interpretar a decisão do governo em rever contratos de publicidade e comunicação como interferência política e ideológica. A principal reclamação é uma suposta falta de critério para definir os novos beneficiados.

Desde 2003, a Petrobras foi patrocinadora de mais de 4 mil projetos culturais a partir do programa Petrobras Cultural, que se tornou a maior seleção pública de projetos culturais no País.

Caio Rinaldi
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade