Geral

Políticos, jornalistas e admiradores lamentam a morte de Ricardo Boechat em queda de helicóptero

COMPARTILHE
764

O jornalista Ricardo Eugênio Boechat, de 66 anos, morreu na queda de um helicóptero no Rodoanel no início da tarde desta segunda-feira (11). A aeronave caiu no quilômetro 7, próximo ao acesso à Rodovia Anhanguera, na chegada a São Paulo, em cima de um caminhão. (veja vídeo no final da matéria).

Ao avaliar caso de empresária espancada no Rio, especialista sugere cuidados

O crime contra a empresária Elaine Caparróz levanta discussões sobre cuidados com relacionamentos na...

Ministros do Supremo defendem equiparar homofobia a racismo

Os ministros Celso de Mello e Edson Fachin, relatores no Supremo Tribunal Federal (STF)...

Segurança acusado de matar rapaz no Extra poderá responder por homicídio doloso

O segurança particular Davi Ricardo Moreira Amâncio, de 32 anos, acusado pela morte de...

O piloto e o copiloto da aeronave também morreram. O motorista do caminhão foi socorrido.

A morte do jornalista teve grande repercussão nas redes sociais. Políticos, jornalistas e admiradores emitiram nota de pesar sobre o ocorrido.

Continua depois da publicidade

O presidente Jair Bolsonaro comentou que recebeu com pesar a notícia. O governador do Espírito Santo Renato Casagrande emitiu nota destacando que o jornalismo perdeu uma de suas principais referências.

O ex-governador capixaba Paulo Hartung e o ministro do Supremo, Dias Tofolli, também divulgaram nota de pesar sobre o ocorrido.

Políticos de todas as ideologias lamentaram a morte do jornalista. Da ala governista, além do presidente, Jair Bolsonaro, e seus filhos Eduardo e Carlos, o vice, Hamilton Mourão, e os ministros Onyx Lorenzoni, Tereza Cristina, Marcos Pontes prestaram condolências nas redes sociais.

Os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Rodrigo Maia (DEM-RJ), respectivamente, também publicaram notas de pesar. “Era um profissional reconhecido pelo trabalho e senso crítico aguçado revelado nos principais meios de comunicação do país”, disse Alcolumbre em sua conta no Twitter.

Do lado da oposição, o senador Humberto Costa, líder do PT na Casa, se disse consternado com a notícia da morte de Boechat. “É uma perda horrível para o Brasil de um jornalista de incontáveis virtudes. Deixo aqui minha solidariedade à família, aos amigos, aos fãs desse grande profissional do nosso jornalismo”, escreveu também no Twitter.

Guilherme Boulos, do PSOL, classificou a morte de Boechat como precoce e trágica. “O Brasil perdeu um jornalista independente e com aguçado espírito crítico. Fará muita falta”, afirmou.

Comunicação

Boechat era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM, além de ser colunista da revista IstoÉ. Trabalhou no Estado e, também, nos jornais O Globo e O Dia. É ganhador de três prêmios Esso e, segundo o site da Band, é um dos maiores ganhadores da história do Prêmio Comunique-se, em que foi reconhecido como âncora de rádio, âncora de televisão e colunista. Também foi eleito o jornalista mais admirado do País na pesquisa do site Jornalistas&Cia em 2014.

A confirmação da morte do jornalista veio da direção de jornalismo da Band ao Estado. Ele estava voltando de Campinas, onde tinha ido dar uma palestra. O helicóptero não era da emissora de televisão.

O apresentador José Luiz Datena interrompeu a programação da Band nesta tarde para confirmar a morte de Boechat. Emocionado, Datena disse que ele era “uma pessoa especial” e um dos maiores jornalistas do País.

Boechat era torcedor do América-MG, que prestou homenagem ao jornalista nas redes sociais. “Expressamos nossos sentimentos à família e aos amigos do jornalista e das demais vítimas desse triste acidente.”

Jornalistas e admiradores também lamentaram a morte de Boechat. “Tristeza e luto nessa tragédia para o jornalismo brasileiro. Perdemos uma referência para o jornalismo combativo e questionador”, escreveu Flávio Fachel, apresentador do Bom Dia RJ.

“Tá difícil de segurar a onda por aqui. Um dia choro por centenas, noutro por dezenas, agora choro por um colega: Ricardo Boechat, agora não! O jornalismo precisa de você”, escreveu Milton Jung, da CBN.

A colunista do BR 18 e colunista do Estado Vera Magalhães chamou o jornalista de “referência do jornalismo, colunista, como âncora”. “Com tudo o que era, conseguia ser generoso com quem tinha menos experiência. No encontro que tivemos, me brindou com essa generosidade que nem sei se merecia.”

Já o jornalista André Trigueiro lembrou do período em que trabalhou com Boechat na TV Globo. “Jornalista valente, corajoso, contundente, um dos grandes nomes dessa nossa profissão”, disse.

“Ricardo Boechat era um voz contestadora na imprensa, fará muita falta”, lamentou Mauro Cezar, jornalista da ESPN.

A jornalista Miriam Leitão, da TV Globo, também falou sobre a morte do “querido amigo”. “Não posso acreditar. Eu lhe devo tantos favores, tantas palavras generosas em momentos difíceis. Você foi pessoa linda, jornalista maravilhoso.”

“Meus sentimentos para a família do Boechat, um dos melhores e mais geniais jornalistas e comunicadores do Brasil”, escreveu o comentarista internacional Guga Chacra.

Acidente

Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave caiu em cima de um caminhão que trafegava pela via, no sentido interior, próximo à praça do pedágio. O motorista do caminhão foi socorrido pela concessionária.

Os bombeiros informaram que 11 viaturas foram deslocadas para o local.

Ainda de acordo com os bombeiros, a aeronave que caiu era do modelo BELL PT HPG.

Foram feitas interdições parciais na pista do Rodoanel, sentido Perus, e na Anhanguera, sentido Jundiaí. A concessionária CCR Rodoanel informou que os motoristas podem acessar a Anhanguera, no sentido São Paulo, e pegar um retorno no quilômetro 18 para seguir para o interior.

Isabela Palhares, Juliana Diógenes, Priscila Mengue e Renata Cafardo
Estadao Conteudo

Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Colaboração: Ana Glaucia Chuina

Publicidade