Política Nacional

Estamos pregando a desjudicialização de litígios, diz Toffoli no Rio

COMPARTILHE
8

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse nesta segunda-feira, 11, durante lançamento de um estudo sobre a magistratura, no Rio, que tem apoiado fortemente a “desjudicialização dos litígios”, para evitar que a justiça continue sobrecarregada e demore nas suas decisões.

Segunda Turma do STF nega recurso para libertar condenados em segunda instância

Por unanimidade, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter uma decisão...

Justiça absolve Kassab em ação sobre desocupação de área para escolas de samba

A juíza Maria Fernanda Toledo Rodovalho, da 16ª Vara da Fazenda Pública, absolveu o...

Carlos Bolsonaro deixa sessão da Câmara do Rio antes de votação acabar

Pivô de uma crise no governo, aberta por uma briga sua com o secretário-geral...

“Temos pregado a desjudicialização dos litígios. Depois acusam que o Judiciário é sobrecarregado, que demora. Existem outras instâncias de solução de litígio, e se vai parar no Supremo é que as outras tentativas fracassaram”, disse o ministro durante lançamento do estudo “Quem Somos – A magistratura que queremos”, que analisa o perfil da justiça brasileira.

De acordo com notícias veiculadas nesta segunda-feira, Toffoli teria aconselhado a empresa Vale a realizar acordos extrajudiciais com as vítimas da tragédia ocorrida no dia 25 de janeiro e caminha para deixar mais de 300 mortos, após o rompimento de uma barragem da mineradora em Brumadinho, Minas Gerais.

Continua depois da publicidade

Toffoli elogiou o estudo e destacou, com um dos pontos mais relevantes, “a preservação da dimensão do Judiciário, para que não caiamos na ideia de que um magistrado sozinho possa resolver o problema do País”.

Denise Luna
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade