Economia

GM recua e retira pedidos a trabalhadores da fábrica de Gravataí

COMPARTILHE
15

A direção da General Motors (GM) no Brasil comunicou nesta sexta-feira, 1, aos funcionários da fábrica de Gravataí, no Rio Grande do Sul, que desistiu das 21 reivindicações que havia feito no início da semana. Todas as demandas da empresa tinham o objetivo de reduzir custos trabalhistas, como diminuição do piso salarial para novos trabalhadores, mudanças na jornada de trabalho e nas participações em resultados.

Usiminas assina com governo MG compromisso de investimento de R$ 219,8 milhões

A Usiminas assinou com o governo do Estado de Minas Gerais nesta quarta-feira, 18,...

Com juro menor, renda fixa vira ‘seguro’

A queda na taxa de juros Selic, que nesta quarta-feira, 18, registrou novo piso...

Para analistas, Selic pode terminar o ano em 4,5%

Economistas afirmaram que o comunicado apresentado nesta quarta-feira, 18, pelo Copom sinaliza que há...

A desistência foi divulgada à imprensa pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, que comemorou a decisão da montadora. “Resistimos bravamente e, hoje, tivemos uma conquista histórica mostrando que precisamos lutar para que sejam garantidos nossos direitos”, afirmou o diretor administrativo do sindicato, Valcir Ascari.

Para diminuir custos no Brasil, a empresa começou a negociar flexibilizações trabalhistas com os sindicatos das cidades onde mantém fábricas de veículos: São Caetano do Sul (SP), São José dos Campos (SP) e Gravataí (RS). As negociações com os trabalhadores das fábricas paulistas continuam. A fábrica de Gravataí é que se encontra em melhor situação.

Continua depois da publicidade

A empresa também mantém negociações com os governos estaduais. Ao Estado de São Paulo, pediu antecipação de créditos acumulados no ICMS. Ao Rio Grande do Sul, solicitou que o Estado voltasse a oferecer isenção no ICMS cobrado sobre o frete interestadual e que medidas fossem tomadas para diminuição dos custos de exportação a partir do Porto de Rio Grande.

As conversas tiveram início depois que a empresa divulgou comunicado interno no qual afirmou que estava dando prejuízo no Brasil há três anos e indicou que poderia deixar de produzir no País se não voltasse a ter lucro em 2019.

André Ítalo Rocha
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade