Anchieta

Projeto quer castrar animais de rua com arrecadação de tampinhas

COMPARTILHE
438

A Prefeitura de Anchieta, por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Seman), iniciou o Programa PetDog – Projeto de Castração de Cachorros e Gatos de Rua. A iniciativa tem objetivo de diminuir a população de cães e gatos das ruas da cidade por meio da castração. E a pretensão é custear esse procedimento cirúrgico nos animais com a venda de tampinhas plásticas (garrafas PET, água, sucos, entre outras embalagens) e apoio de empresas privadas.

Muro de contenção da maré em novo estágio na Ponta dos Castelhanos

As obras de construção do muro de contenção da maré na Ponta dos Castelhanos,...

Spaço Fitness Marconcini: saúde, atividade física e estética

Confira o relato do esforço e sucesso das irmãs empreendedoras Vânia Marconcini Silva e...

Iriri Vivo: eventos diversos durante todo o ano no balneário

A Associação Iriri Vivo tem garantido, por meio de suas iniciativas, um fluxo de...

O projeto tem como base principal a venda de tampinhas pet e a conversão dos valores da venda para custear os procedimentos cirúrgicos de castração e esterilização de fêmeas e machos de cães e gatos.

Para implantar o projeto a Seman vai firmar parceria com duas entidades, a SOS Matilhas, que cuida de animais de rua do município e a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Anchieta (Unipran), que recolhe e dá destinação final do lixo reciclável da cidade.

Continua depois da publicidade

A população será fundamental para execução da iniciativa, já que com a venda das tampinhas será custeado o projeto. A Prefeitura irá disponibilizar diversos coletores, além das escolas e órgãos públicos, o locais para depositar as tampinhas serão inseridos em alguns comércios.

Conforme a gerente de Recursos Hídricos e Naturais, Ana da Matta, “a situação de cães e gatos abandonados pelas ruas do município é um problema iminente de saúde pública e mal-estar animal. Com o advento da Portaria Ministerial da Saúde Portaria nº 1.138/2014, a Secretaria Municipal de Saúde não pode atuar no controle desses animais quando sadios, o que vem gerando uma superpopulação pelas ruas”.

A Seman já vem realizando diversas ações: mobilização nas escolas e com a população para separação das tampinhas PET; mobilização da população para a posse responsável de animais domésticos; instalação de pontos de entrega de tampinhas e recolhimento em locais estratégicos como escolas, comércio e prédios públicos; busca de outras fontes de recurso e patrocínio – mantenedores e doadores para o projeto e criação de infraestrutura básica para tratamento pré-operatório e repouso pós-operatório dos animais.

A secretária da pasta, Jéssica Martins, ressalta que esse projeto necessita da parceria total da população, no que tange à consciência de separar as e destinas as tampinhas. “São necessários cerca 400 kg de tampinhas para custear um procedimento de castração e/ou esterilização”, esclarece a secretária.

“O projeto é de extrema importância para o município, pois além de incentivar e fortalecer a reciclagem de materiais, atuará em uma causa social e de saúde pública, oferecendo mais segurança à população e melhor qualidade de vida para os animais. No entanto, a participação de todos é imprescindível para que os objetivos sejam alcançamos com maior eficácia e rapidez”, explica Martins, solicitando apoio da comunidade.

Esse projeto é finalista no Prêmio Inoves 2018, na categoria Ideias, entre os cinco projetos do Poder Público Municipal.

Publicidade