Espírito Santo

Presidente do STF nomeia Paulo Hartung conselheiro do CNJ

COMPARTILHE
6029

O Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Dias Toffoli nomeou o economista e ex-governador do Espírito Santo, Paulo Hartung,  integrante do conselho consultivo do CNJ. A nomeação foi assinada nesta sexta-feira (11).

Sedu abre 150 vagas em processo seletivo para Intercâmbio no exterior

tenção, alunos matriculados nos Centros Estaduais de Idiomas (CEIs) da Rede Estadual de Ensino! Estão...

PRF inicia Operação Corpus Christi nesta quarta (19) no Espírito Santo

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciará à meia-noite desta quarta-feira (19), a Operação Corpus...

Governador sanciona leis que criam Fundo Soberano e Fundo de Infraestrutura no ES

O governador do Estado, Renato Casagrande, sanciona, nesta segunda-feira (17), as leis que criam...

Além de Paulo Hartung, também foram nomeados Raul Jungmann e André Tavares. O conselho consultivo foi criado em 2009, por meio da lei n. 11.364, de 2006, e tem o objetivo de reunir representantes da sociedade para auxiliar o CNJ em pesquisas para o aperfeiçoamento da Justiça e a elaboração de políticas judiciárias.

Hartung ganhou destaque nacional após implementar uma rigorosa política de austeridade fiscal que permitiu ao Poder Executivo Estadual avançar em políticas públicas transformadoras que permitiram que o Espírito Santo  se destacasse em indicadores nacionais de avaliação. Em sua gestão, de acordo com o ranking nacional do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb),  o Espírito Santo está em primeiro lugar em todo o Brasil no Ensino Médio, e o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que apontou que o Estado tem o menor índice de mortalidade infantil e é o segundo colocado em expectativa de vida.

Continua depois da publicidade

 

Atividade não remunerada

Os consultores têm mandato de dois anos, podendo ser reconduzidos uma única vez. Eles não têm direito à remuneração, mas recebem diárias e passagens aéreas necessárias ao desempenho de suas atividades junto ao conselho consultivo.

A partir de sua posse, os consultores ficam proibidos de firmar contratos ou estabelecer acordos de cooperação e intercâmbio, de caráter oneroso, com o Conselho Nacional de Justiça ou com o Departamento de Pesquisas Judiciárias.

 

Membros

Os membros do conselho Consultivo do DPJ, designados pelo ministro Dias Toffoli, são os seguintes:  engenheiro Carlos Eduardo Esteves Lima; advogada da União e professora do curso de Direito do Uniceub-DF, Daiane Nogueira de Lira; ex-secretário da Receita Federal e professor do Instituto Brasiliense de Direito Público, Everardo Maciel; doutor em Direito Tributário pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e coordenador do Núcleo de Estudos Fiscais NEF/FGV, Eurico Marcos Diniz de Santi; professor titular e Diretor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Floriano Peixoto de Azevedo Marques Neto; doutor em educação pela Universidade Metodista de Piracicaba e reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, José Vicente; juíza federal Taís Schilling Ferraz; ator e diretor de TV Milton Gonçalves; professora da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Nina Beatriz Stocco Ranieri; professor da Faculdade de Direito da  USP, Otávio Luiz Rodrigues Junior; desembargador federal Paulo Sérgio Domingues; mestra em Administração Pública e presidente-executiva do Todos pela Educação, Priscila Cruz; e o juiz de direito e professor de Direito da UNIMEP, Richard Pae Kim.

Publicidade