Espírito Santo

Espírito Santo registra queda de 20% nos casos de feminicídio

COMPARTILHE
327

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) do Espírito Santo registrou queda de 20% no número de feminicídio praticados no ano passado, quando comparado com o mesmo período de 2017.

Governador sanciona leis que criam Fundo Soberano e Fundo de Infraestrutura no ES

O governador do Estado, Renato Casagrande, sanciona, nesta segunda-feira (17), as leis que criam...

Ceasa completa 42 anos com alimentos, logística e infraestrutura de qualidade

Inaugurada em 1977, a Central de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa/ES), em Cariacica, completa...

Governo do ES cria Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi)

O governador Renato Casagrande publicou no Diário Oficial desta sexta-feira (14), o decreto de...

Segundo dados da Sesp, 93 mortes violentas foram registradas em todo Estado, ou seja, em média, aproximadamente dez mulheres morreram assassinadas por mês em 2018. Já em 2017, 133 mortes de mulheres aconteceram no Estado.

No ano passado, foram 33 feminicídios e 60 homicídios dolosos (quando há intenção de matar) contra mulheres. Em 2017, o número foi ainda maior. Foram praticados 42 feminicídios e 91 homicídios dolosos contra mulheres.

Continua depois da publicidade

Segundo Edilma Oliveira, titular da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), cerca de 40 novos inquéritos de violência contra a mulher são instaurados por mês em Cachoeiro de Itapemirim.

Casos de repercussão

Entre os casos de feminicídio mais recentes que chocaram o município estão o da vendedora Adriana Ornellas de Carvalho, de 33 anos, e o da médica pediatra Clícia Regina Alcântara, de 48 anos.

Adriana foi espancada e atropelada pelo ex-companheiro, no bairro Monte Cristo. Ela saiu de uma academia e seguia para casa, em uma moto, quando foi perseguida e morta pelo acusado. A vítima caiu após o ex colidir na traseira da moto. Ele desceu do carro, desferiu socos e chutes e passou com o veículo por cima dela.

Já a médica, foi agredida até a morte pelo marido. Um amigo do assassino acionou a polícia após receber uma ligação, durante a madrugada, do marido de Clícia informando que cometeu o crime.

Ao chegar na residência, no bairro Amarelo, a polícia encontrou a médica ferida na cabeça e já sem vida.

Feminicídio

Feminicídio é quando a vítima é morta por ser mulher. O termo usado para denominar assassinatos de mulheres cometidos em razão do gênero.

No Brasil, a Lei do Feminicídio, de 2015, classifica que, quando o homicídio é cometido contra uma mulher, a pena é maior.

O Brasil é considerado o 5º País do mundo com maior número de feminicídios. Segundo dados divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU), 4,6 mil casos foram registrados em 2017.

A polícia pede que qualquer vítima de agressão física ou verbal procure ajuda especializada. Denúncias também podem ser feitas pelo 181.

Publicidade