Política Regional

Amunes convoca prefeitos para debater suspensão de convênios firmados com Governo do ES

COMPARTILHE
362

A Associação dos Municípios do Estado do Espírito Santo (Amunes) está convocando os prefeitos capixabas para uma reunião nesta segunda-feira (7). Em pauta, o posicionamento da entidade frente à situação dos convênios entre municípios e Governo do Estado firmados nos últimos três meses de 2018 que foram sustados pelo governador Renato Casagrande, no último dia 1º. O encontro será às 10 horas, na sede da Associação, no Centro de Vitória.

Ex-prefeito de Bom Jesus, Ubaldo Martins, tem contas de 2014 aprovadas com ressalvas

Apesar do ex-prefeito Ubaldo Martins ter tido parecer pela rejeição das contas do Exercício...

Prefeitura de Anchieta enfrenta crise com boa gestão e garante aumento de mais de R$ 40 milhões na arrecadação

Com o trabalho realizado ao longo dos dois primeiros anos de gestão, e principalmente...

Reforma da Previdência: Vidigal reitera defesa ao trabalhador

Com a chegada da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 6/2019), que dispõe sobre...

Assinado no primeiro dia do mandato, o Decreto 4.351 – R/31 determina a sustação dos convênios firmados e a devolução imediata dos recursos recebidos pelos municípios. “O momento exige a união de todos os prefeitos da defesa coletiva dos interesses dos municípios capixabas. Assim sendo, solicitamos que seja priorizada a participação na reunião e questão”, diz o texto de convocação aos gestores municipais.

O prefeito de Ibatiba e secretário da Amunes, Luciano Pingo, reforçou sobre a necessidade do cumprimento dos compromissos firmados. “A Amunes, como representante legítima dos municípios, vai reunir todos os prefeitos na próxima segunda para dialogar sobre quais medidas tomar visando garantir a consolidação dos convênios. Todos os municípios necessitam desses investimentos para garantir melhoria na qualidade de vida da população. Precisamos criar um canal de interlocução com o novo governador e permitir que isso seja pacificado de forma que o interesse público, que são as obras no municípios, sejam realizadas”, explicou Pingo.

Continua depois da publicidade

Luciano ainda acrescentou que os recursos já estavam na conta dos municípios e precisarão ser devolvidos. “O nosso desejo é que isso seja pacificado com o Governo para que os convênios sejam mantidos e o recurso seja aplicado na qualidade de vida da população, não somente Ibatiba, mas as dezenas de municípios que estão sendo prejudicados com essa decisão do Governo do Estado, tendo em vista que o dinheiro desses convênios, em muitos casos, já está na conta dos municípios e teremos que devolver os recursos ao Estado”, reforçou.

Publicidade