Política Regional

A sina do rompimento entre vices e prefeitos: em Cachoeiro não foi diferente

COMPARTILHE
2008

Na teoria, por ser o substituto do prefeito, o vice deveria ser aliado, visto que ambos disputam a campanha juntos. Entretanto, não são raras as vezes que um vice entra em desavença e rompe com o titular do Executivo.

Júnior Abreu é o novo secretário de Estado de Esportes

O governador do Estado, Renato Casagrande, anunciou, nesta quarta-feira (16), o nome de José...

Governador envia a Assembleia Legislativa proposta para anistiar PM’s da greve de 2017

Na tarde desta segunda-feira (14) o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, enviou à...

Orçamento 2019 será votado hoje (14) pela Assembléia Legislativa do ES

A nova proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2019, enviada pelo governador Renato...

O caso mais recente de rompimento ocorreu em Cachoeiro de Itapemirim. Os sinais de que as coisas não andavam bem entre o vice-prefeito Jonas Nogueira (PP) e o prefeito Victor Coelho (PSB) ficaram evidentes a partir de novembro do ano passado, quando Nogueira se posicionou contra o projeto do Executivo Municipal para subsidiar (custear) parte do valor da passagem de ônibus. Na época, o vice-prefeito prefeito reclamou, em vídeo gravado por ele, que não tinha uma sala estruturada para trabalhar na sede do governo. O então secretário de Governo, Weydson Ferreira, rebateu e chegou a afirmar que Jonas não aparecia há seis meses em seu gabinete.

Exonerações

Continua depois da publicidade

O selamento do rompimento entre prefeito e vice foi registrado por meio de publicação no Diário Oficial do Município desta quarta-feira (2). Os indicados por Jonas Nogueira para ocupar o primeiro escalão de Victor Coelho foram exonerados. Além do secretário de Desenvolvimento Econômico, Felipe Macedo, e do coordenador do Procon, Marcos Cesário, todos os demais servidores ligados aos departamentos foram desligados de suas funções.

Nos bastidores da política sempre foi notória a intenção de Jonas Nogueira pela disputa da cadeira do Palácio Bernardino Monteiro. E isso deve ocorrer nas eleições de 2020.

Nomeados

Andressa Colombiano Louzada (PPS) passará a assumir a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Já o Procon, assume o ex-coordenador Rogério Athayde (MDB), que atuou na gestão do ex-prefeito Carlos Casteglione (PT).

Casos de rompimentos                  

No Sul do Espírito Santo houve mais casos de rompimentos entre vices e prefeitos.

Em Itapemirim, Tiago Peçanha (PSDB) rompeu com o prefeito Luciano Paiva (Pros) no início de 2017, assim que o Chefe do Executivo foi afastado do cargo pela Justiça. Os dois se tornaram inimigos e o clima é de “pé de guerra” entre eles.

Em Cachoeiro, o vice-prefeito Atílio Travaglia, da gestão 2005/2008, rompeu com Roberto Valadão (MDB) no final de sua gestão. No ano de 2008 Valadão chegou a ser afastado do cargo pela Justiça.

No município de Marataízes não foi diferente entre o vice-prefeito Tininho (PDT) e o titular, da gestão 2012/2016. Jander Vidal foi afastado do cargo pela Justiça em 2013, e em seguida houve rompimento entre ele e seu vice que assumiu a prefeitura interinamente. Na época, Vidal disse ter se sentido traído por Tininho, hoje prefeito. Em 2015, Jander retornou ao cargo.

Rompimento Temer x Dilma

Em 2016, Michel Temer (MDB) ministrou um “golpe” contra a então presidente Dilma (PT) e conseguiu junto a Câmara e o Senado o seu impeachment por conta das chamadas pedaladas fiscais.

Houve manifestações contra Temer com pedidos para que ele renunciasse. Michel temer encerrou o mandato com a maior rejeição da história, sendo considerado péssimo ou ruim por 62% da população.

Publicidade