Internacional

China condena canadense à morte em meio a tensão diplomática

COMPARTILHE
8

Um tribunal chinês na província de Liaoning sentenciou o canadense Robert Lloyd Schellenberg à morte, em um novo julgamento sobre um caso de contrabando de drogas, o que aumenta as tensões entre Pequim e Ottawa após a prisão da executiva Meng Wanzhou, da chinesa Huawei. A corte rejeitou a alegação de inocência do canadense e o condenou à morte.

China exige que EUA retirem pedido de extradição de executiva da Huawei ao Canadá

A China exigiu que os Estados Unidos retirem o pedido para que o Canadá...

EUA: contra paralisação, Senado votará em projetos de republicanos e democratas

Os líderes do Senado dos Estados Unidos concordaram nesta terça-feira, 22, em votar propostas...

Brexit sem acordo é possível e devemos nos preparar, diz ministro britânico

O ministro de Comércio Exterior do Reino Unido, Liam Fox, afirmou nesta quarta-feira que...

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, disse em Ottawa que está “extremamente preocupado” com o fato de a China ter escolhido “arbitrariamente” aplicar a pena de morte a um cidadão canadense. Em seus comentários mais fortes contra Pequim, Trudeau afirmou que “todos os países do mundo” devem se preocupar pelos chineses agirem arbitrariamente contra o sistema de justiça.

Schallenberg foi detido há mais de quatro anos e foi inicialmente sentenciado a 15 anos de prisão em 2016. No entanto, no mês passado, um tribunal de apelações concordou com promotores que disseram que a sentença seria muito branda e agendou o julgamento para esta segunda-feira com apenas quatro dias de antecedência. A imprensa chinesa começou a divulgar o caso de Schellenberg em dezembro, depois que o Canadá deteve Meng Wanzhou em 1º de dezembro a pedido dos Estados Unidos. Fonte: Associated Press.

Continua depois da publicidade

Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade