Esporte Nacional

Após derrota e com muitas dores, Andy Murray não sabe se vai jogar em Wimbledon

COMPARTILHE
9

Após ser eliminado na primeira rodada do Aberto da Austrália, em Melbourne, nesta segunda-feira, o britânico Andy Murray disse que vai decidir na próxima semana se será submetido a uma cirurgia no quadril direito, o que vai encerrar a sua carreira no tênis profissional, ou se prossegue até o torneio de Wimbledon, em Londres, em julho deste ano.

No vôlei de praia, campeão olímpico Alison tem novo parceiro para Tóquio-2020

Apenas dois dias depois de romper com André Stein, o campeão olímpico Alison tem...

Mãe do volante Rabiot critica PSG e Neymar: 'Tem jogador que pode ir ao carnaval'

O ambiente no vestiário do Paris Saint-Germain voltou a esquentar nesta quarta-feira. Mãe e...

Com alumínio reciclado, tocha olímpica é apresentada pelo Comitê Tóquio-2020

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio-2020 apresentaram nesta quarta-feira a tocha olímpica do grande...

“Decidirei na próxima semana se passarei por uma cirurgia em pouco tempo ou se, pelo contrário, descanso até Wimbledon para jogar lá o meu último torneio”, disse Murray, com a voz trêmula, na entrevista coletiva após a derrota para o espanhol Roberto Bautista Agut por 3 sets a 2 – parciais de 6/4, 6/4, 6/7 (5/7), 6/7 (4/7) e 6/2, após 4 horas e 9 minutos de jogo.

“Mesmo que decida descansar por quatro meses, não vou poder caminhar bem de forma normal e seguirei com a dor no dia a dia. Se este foi meu último jogo, eu dei literalmente tudo que eu tinha. Mas não foi o suficiente esta noite”, comentou. “Durante todos esses anos, dei o melhor de mim. Treinei o máximo que pude, às vezes até demais. Eu gostaria de jogar novamente as partidas que joguei aqui no passado”, acrescentou.

Continua depois da publicidade

Murray revelou que ficou muito emocionado durante o quinto set, quando o placar ficou 5 a 1 favorável a Bautista Agut. “Eu não acho que vivi um momento como esse em nenhum jogo. Eu não senti sensação igual nem quando eu saquei para ganhar Wimbledon”, afirmou o tenista de 31 anos.

Diante de uma plateia que o apoiou durante todo o tempo, ao lado de sua mãe e o irmão Jamie (parceiro do brasileiro Bruno Soares nas duplas), Murray, vencedor de três torneios de Grand Slam, mais uma vez se entregou totalmente à partida e não desistiu de nenhum ponto.

Mas as dores no quadril, que o dificultam até para levantar as meias, diminuíram as suas forças, após quatro sets bastante disputados, diante do 22.º colocado do ranking mundial da ATP. Foi a primeira derrota de Murray na primeira rodada de um torneio de Grand Slam em 11 anos.

Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade