Geral

Ato contra morte de cadela faz Carrefour fechar as portas

COMPARTILHE
452

O Carrefour Osasco fechou as portas neste sábado, 8, por causa de uma manifestação agendada para o local, em repúdio pela morte da cadela “Manchinha”. O animal morreu após ser agredido por um segurança da loja, no último dia 30. De acordo com o Carrefour, a área de vendas da unidade na Grande São Paulo foi fechada às 14h, mas o estacionamento está liberado para os manifestantes. Por volta das 16h, não havia informações sobre a reabertura da loja após as manifestações.

Vazamento de óleo provocado por tentativa de furto atinge Baía de Guanabara

Uma tentativa de furto no oleoduto da Petrobras que passa pelo município de Magé,...

Odebrecht pagará multa de US$ 181 milhões ao Peru por suborno a autoridades

Autoridades do Peru disseram que a empreiteira brasileira Odebrecht concordou em pagar uma multa...

Columbia Britânica cancela missão comercial à China por prisão de Meng Wanzou

Uma missão comercial à China pela província canadense de Colúmbia Britânica foi cancelada neste...

Em um ato convocado nas redes sociais até às 15h deste sábado, mais de 12 mil pessoas haviam sinalizado que pretendem comparecer e 55 mil demonstraram interesse. O convite para o protesto pede às pessoas que durante o evento utilizem uma peça de roupa na cor preta, e levem balões, flores e velas, em sinal de luto contra a morte da cadela.

Na quinta-feira, 6, o segurança acusado de agredir e causar a morte do cachorro confessou à polícia ter golpeado o animal com uma barra metálica, mas se disse arrependido. Em depoimento prestado na Delegacia do Meio Ambiente, ele afirmou que não percebeu que havia ferido o animal e só teria se dado conta quando viu o sangue no chão. Também alegou ter buscado ajuda e ligado para o Centro de Zoonoses do seu celular pessoal.

Continua depois da publicidade

O segurança foi indiciado pelo artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais, por praticar abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A pena prevista é de 3 meses a 1 ano de prisão, além de multa, que pode ser aumentada em até um terço por causa da morte. Ele vai responder em liberdade, porque o crime é considerado de baixo potencial ofensivo.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública afirmou que o caso ainda é investigado. “Policiais analisam imagens de câmeras de segurança do local e colhem oitivas de testemunhas, como a veterinária do Centro de Zoonoses de Osasco, que atendeu o animal, e o segurança do estabelecimento, porém mais detalhes não podem ser passados para não atrapalhar as investigações.”

Ana Paula Niederauer
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade