Política Nacional

Jucá: 'além da ajuda financeira, é preciso investigar desvios e corrupção em RR'

COMPARTILHE
8

O senador Romero Jucá (MDB-RR), disse neste sábado, 8, que, além da ajuda financeira que será dada pelo governo federal a Roraima, “é preciso investigar com profundidade os desvios e a grande corrupção que sangrou os cofres públicos” no Estado. A declaração foi dada por meio de sua conta no Twitter.

Carlos Bolsonaro volta discreto à Câmara no Rio e assina proposta da oposição

Com postura cortês até em relação a adversários, o vereador Carlos Bolsonaro(PSC) desfaz, na...

Juan Guaidó reitera que ajuda humanitária entrará na Venezuela

O presidente autodeclarado da Venezuela, Juan Guaidó, reiterou que a ajuda humanitária irá entrar...

'Hoje, o maior latifundiário do País é o índio', diz secretário

O secretário especial de Assuntos Fundiários, Luiz Antonio Nabhan Garcia, afirmou ontem que o...

Jucá destacou que haverá uma reunião no Palácio da Alvorada nesta tarde, convocada pelo presidente Michel Temer na sexta-feira, 7, para discutir a intervenção em Roraima. O encontro estava marcado para começar às 16h.

“Roraima teve excesso de arrecadação de R$ 580 milhões além do orçamento previsto para 2018. Estavam previstas todas as despesas de pessoal, duodécimo dos poderes, ICMS das prefeituras, educação, saúde e segurança. Onde foi esse dinheiro?”, questionou o senador no tweet.

Continua depois da publicidade

Jucá ainda afirmou que o Estado é alvo da ação de uma “quadrilha” ligada à governadora Suely Campos (PP). “O marido e o filho já estão presos e outros irão”, acrescentou.

Conforme publicado na edição deste sábado do jornal O Estado de S. Paulo, Temer decretou intervenção federal em Roraima após uma reunião de emergência convocada na noite de Sexta-feira (8), na qual se discutiu a greve dos agentes penitenciários e da Polícia Militar.

Uma das medidas adotadas será a liberação de um crédito extraordinário para pagar despesas em atraso, como salários de servidores e pagamentos a fornecedores. O valor será entre R$ 150 milhões e R$ 200 milhões. Temer deverá editar uma medida provisória para liberar o dinheiro. A primeira parcela será de R$ 23 milhões.

Nayara Figueiredo
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade