Economia

Opep anuncia corte conjunto de 1,2 mi de barris por dia em relação a outubro

COMPARTILHE
16

São Paulo, 07/12/2018 – A Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) e os seus aliados na cooperação sob o chamado Opep+ anunciaram ter decidido cortar a sua produção conjunta em 1,2 milhão de barris por dia (bpd) em relação aos níveis de outubro de 2018. Desse volume, caberá aos membros do cartel uma redução da ordem de 800 mil bpd, enquanto os produtores parceiros liderados pela Rússia serão responsáveis por diminuir seu suprimento ao mercado em 400 mil bpd.

Bolsas de NY fecham em alta com fala de Trump, mas corte do JPMorgan tira força

As bolsas nova-iorquinas fecharam em alta nesta sexta-feira, 23, depois de o presidente dos...

Fitch reafirma rating de Portugal em BBB e altera perspectiva para positiva

A Fitch reafirmou o rating BBB de Portugal, mas alterou a perspectiva para positiva....

Fitch reafirma rating da Turquia em BB, com perspectiva negativa

A Fitch reafirmou o rating BB da Turquia, com perspectiva negativa. A agência informa...

O ministro de Energia e Indústria dos Emirados Árabes Unidos e presidente da 175ª Reunião da Conferência da Opep, Suhail Mohamed Al Mazrouei, reconheceu que alguns integrantes do cartel, como o Irã, serão isentos de promover cortes nacionalmente. No caso do país persa, pesaram para a concessão os efeitos das sanções dos Estados Unidos à sua indústria petrolífera.

Já o ministro de Energia da Rússia, Alexander Novak, anunciou que Moscou planeja cortar 2% de sua produção de petróleo, também na comparação com o nível de outubro. “Gostaria de agradecer à Arábia Saudita por assumir um corte maior do que a fatia de produção que lhe cabe”, declarou.

Continua depois da publicidade

Por sua vez, o ministro saudita, Khalid Al-Falih, informou que Riad produziu 10,7 milhões de bpd em outubro, 11,1 milhões de bpd em novembro e prevê produção de 10,7 milhões de bpd em dezembro. “Hoje, estamos alocando os números de janeiro e eles estarão na vizinhança de 10,2 milhões de barris por dia, em parte motivado com nosso compromisso de começar 2019 com o pé direito”, afirmou. A partir dessa declaração, apreende-se que o corte promovido pelos sauditas sob o acordo será de 500 mil de barris por dia.

Ainda assim, Al-Falih destacou que Arábia Saudita mostrou nos últimos seis meses que não sabe apenas “cortar” oferta, mas, também, “liberar” oferta no mercado quando considera necessário.

Nicholas Shores e Niviane Magalhões
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade