Cidades

Mais Médicos abrirá inscrições para profissionais formados no exterior

COMPARTILHE
62

O Ministério da Saúde decidiu abrir as inscrições do Programa Mais Médicos aos profissionais brasileiros e estrangeiros formados no exterior (sem registro no Brasil).

Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Cachoeiro sob novo comando

Diante de diversas autoridades das esferas federal, estadual e municipal, além de lideranças e...

Rua Capitão Deslandes terá nova interdição neste sábado (23)

O trânsito na rua Capitão Deslandes será novamente interditado para reparos neste sábado (23)....

Produtores de Muniz Freire recebem orientações sobre pagamentos de serviços ambientais

Para preservar as áreas verdes, recursos hídricos capixabas e apoiar os proprietários rurais, o...

Os candidatos terão entre os dias 11 e 14 de dezembro para enviar documentação ao ministério e estarem aptos para validação da inscrição no programa.

São 17 documentos exigidos, entre eles, o reconhecimento da instituição de ensino pela representação do país onde os profissionais obtiveram a formação.

Continua depois da publicidade

Entre os dias 20 e 22, os médicos brasileiros formados no exterior e sem registro no País que tenham a inscrição previamente validada poderão escolher os municípios remanescentes.

Termina nesta sexta-feira, 7, às 23h59, a inscrição de médicos com registro no Brasil.

Até esta quinta-feira, 6, o programa havia recebido 35.716 inscrições, preenchendo 98,6% (8.402 profissionais alocados) das 8.517 vagas disponibilizadas do edital vigente. Desse total, 3.949 médicos já se apresentaram aos municípios selecionados. Os profissionais registrados nos Brasil têm até a próxima sexta-feira, 14, para fazerem isso.

Ajuda de custo

O Ministério da Saúde estuda modificar, por meio de portaria, as regras que tratam da devolução de despesas como ajuda de custo e passagens aéreas, por exemplo, nas situações em que o médico muda de localidade para atuar no programa.

Atualmente, os médicos precisariam devolver este recurso, que pode chegar a cerca de R$ 35 mil, caso fiquem menos de 6 meses desde a assinatura do contrato no Mais Médicos. Com a mudança, o valor passaria a ser devolvido proporcionalmente ao tempo em que o médico esteve no programa. Assim, ficariam isentos somente aqueles que permanecessem três anos em atuação.

Segundo o Ministério da Saúde, o programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs), levando assistência para cerca de 63 milhões de brasileiros.

Ana Paula Niederauer
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade