Economia

FGV lança site que calcula 'índice de inflação pessoal'

COMPARTILHE
6

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) lança nesta sexta-feira, 7, o Portal da Inflação que reunirá diversas informações sobre a dinâmica de preços na economia, com foco tanto no público em geral quanto no público especializado. Uma das ferramentas permitirá ao usuário construir seu “índice de inflação pessoal”.

Consumidores pagarão R$ 17,187 bi em subsídios do setor de energia elétrica

Os consumidores de energia elétrica terão que pagar R$ 17,187 bilhões para cobrir o...

Juros fecham em alta moderada, com ajustes à mensagem da ata do Copom

Os juros futuros terminaram a sessão regular desta terça-feira, 18, em alta moderada. A...

País gastou com proteção social 5 p.p. acima de outros 54 países, diz Tesouro

O governo brasileiro gastou 12,7% do PIB com proteção social - que inclui principalmente...

O site já está no ar e, em seu primeiro dia de funcionamento oficial, será atualizado com os dados do Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), da própria FGV, e do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta sexta.

Segundo o coordenador do Portal da Inflação, Pedro Costa Ferreira, o lançamento do site surgiu da necessidade de facilitar o acesso a informações sobre inflação, inclusive em tempo real. A princípio, o portal terá atualização semanal, às segundas-feiras, mas, conforme o pesquisador, isso poderá ser revisto, com atualização diária dos dados divulgados.

Continua depois da publicidade

O “índice de inflação pessoal” pode ser construído pelos usuários na página Sua Inflação. “Para você saber a sua inflação de verdade, você deveria considerar no cálculo apenas os itens que você consome e não a média da população brasileira”, diz um trecho da página do Portal da Inflação.

Ferreira lembrou que os índices de preços são importantes para a análise do estado da economia, mas que não atendem as necessidades pessoais de cada um. Por isso, é comum o consumidor avaliar que os preços estão sempre subindo mais do que indicam os índices de inflação medidos pelos órgãos de estatística e, até mesmo, desconfiar da veracidade desses dados.

“Os índices, como o IPCA, são uma cesta de consumo, uma média bem média. Ninguém se sente representado por ele”, disse Ferreira.

Sua inflação. No Portal da Inflação, o usuário encontrará uma planilha com campos para preencher sua renda e seus gastos pessoais e, no fim, obter um índice pessoal de inflação. Segundo Ferreira, o consumidor poderá usar a ferramenta como forma de controlar o orçamento doméstico.

Com foco em economistas e analistas do mercado financeiro, o Portal da Inflação divulgará também o Núcleo-TF, um indicador de “núcleo de inflação” calculado com “triplo filtro”. As medidas de núcleos dos índices de inflação já são tradicionalmente calculadas pelos técnicos do Banco Central e pelas equipes de análise econômica das instituições financeiras, com o objetivo de obter um retrato de trajetória estrutural da inflação.

A metodologia básica de cálculo de núcleos é a de média aparada, que exclui itens cujos preços tenham tido uma variação muito alta tanto para baixo quanto para cima. Já a metodologia “triplo filtro” aplicada pelos pesquisadores do Ibre/FGV, além do cálculo de média aparada, inclui um ajuste sazonal e usa uma média móvel trimestral, em vez de acumulados em 12 meses, como é mais comum nos núcleos atualmente calculados.

É possível acessar o site pelo seguinte endereço: https://portal-dainflacao.fgv.br/. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Vinicius Neder
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade