Economia

Mastercard quer crescer acima do mercado de cartões e manter liderança no Brasil

COMPARTILHE
7

Depois de galgar a liderança do mercado brasileiro de cartões pela primeira vez desde que desembarcou com seu primeiro escritório no País, há 22 anos, a Mastercard espera crescer acima do segmento e se manter no primeiro lugar, de acordo com o presidente da companhia, João Pedro Paro Neto. “Queremos crescer e manter a liderança. Mais do que ter a liderança, queremos crescer acima do mercado, trazer novos fluxos, fazer o mercado acontecer”, disse ele, a jornalistas, nesta tarde de quinta-feira, 6.

Economia global se enfraquece e pune Bolsas de NY

Os mercados acionários americanos apresentaram perdas expressivas nesta sexta-feira, 14, fazendo com que os...

Novos preços de referência para o diesel sobem em três regiões e caem em duas

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou nesta sexta-feira, 14,...

Petrobras eleva em 2,04% preço médio da gasolina nas refinarias, para R$ 1,6202

A Petrobras anunciou alta de 2,04% no preço médio do litro da gasolina A...

Na mira da Mastercard, segundo o executivo, está o segmento de transportes. A companhia mira expandir para mais regiões, conforme ele, o pagamento por aproximação. Atualmente, a Mastercard já opera no setor de transporte com esta tecnologia em Belo Horizonte, Porto Alegre, Jundiaí, Rio de Janeiro e Brasília, onde tem a maior operação.

“Queremos avançar nesta agenda em 2019, contaminar o Brasil com pagamentos de aproximação no setor de transportes”, destacou Paro.

Continua depois da publicidade

As oportunidades, conforme ele, são grandes. No sistema de ônibus, por exemplo, metade dos pagamentos ainda é feita com dinheiro.

Além disso, a participação de pagamentos por aproximação no Brasil, incluindo cartão, celular, meios vestíveis, ainda é baixa, de acordo com Paro, somando algumas milhões de transações. No Chile, segundo o executivo, esse segmento já representa 30% do todo apesar de ter sido implementado há um ano e meio. Há mercados, contudo, ainda maiores, como na Austrália, onde os pagamentos por aproximação chegam a 90% no setor de transporte local.

A parceria da Mastercard, segundo o presidente da companhia, se dá com as empresas de software que operam as catracas no sistema de transportes. Presente no Brasil há mais de duas décadas, a empresa conquistou a liderança do mercado de cartões no ano passado e se manteve neste posto. Não abre, contudo, sua fatia no País, segundo mercado mais importante para a companhia no mundo.

Aline Bronzati
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade