Política Nacional

Empresas terão de arcar se estiverem envolvidas, diz Anfavea sobre delação

COMPARTILHE
9

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, afirmou nesta quinta-feira, 6, que, se as acusações na delação do ex-ministro Antonio Palocci sobre as montadoras forem comprovadas, as empresas envolvidas “naturalmente terão de arcar com as responsabilidades”.

Bolsonaro já assinou demissão de Bebianno, dizem interlocutores do governo

O presidente Jair Bolsonaro já assinou a demissão do ministro da Secretaria-Geral da Presidência,...

Corregedor de Justiça recua e decide permitir pagamento de penduricalhos a juízes

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, recuou e decidiu atender a um...

Bebianno questiona tratamento diferenciado em relação ao ministro do Turismo

Prestes a ser exonerado do cargo, o ministro da Secretaria-Geral, Gustavo Bebianno, questionou o...

Palocci, que foi ministro da Fazenda no primeiro mandato do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff, disse nesta quinta, em depoimento à Justiça Federal do Distrito Federal, que Lula negociou com o lobista Mauro Marcondes Machado, do setor automobilístico, pagamentos a Luís Cláudio Lula da Silva, seu filho caçula, para a aprovação de uma Medida Provisória que tinha como finalidade prorrogar incentivos fiscais de montadoras instaladas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

O presidente da Anfavea, após ser questionado por jornalistas sobre o assunto, garantiu que “setorialmente não aconteceu nada”.

Continua depois da publicidade

“Pode ter ocorrido com uma ou outra empresa, mas eu prefiro ver o depoimento dele, ao qual eu ainda não tive acesso, para tecer maiores comentários”, disse Megale.

André Ítalo Rocha
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade