Economia

Empresário vê reaquecimento do mercado

COMPARTILHE
19

A aprovação na Câmara do projeto de lei que cria regras para os cancelamentos dos contratos de compra e venda de imóveis na planta – os distratos – é vista por empresários como o combustível que faltava para alimentar o reaquecimento do mercado imobiliário.

A governadores, Salim Mattar diz que União vai ajudar Estados a vender estatais

O secretário especial de Desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, disse hoje a...

Judiciário prepara pacote de medidas para agilizar as recuperações judiciais

Integrantes do Judiciário preparam um pacote de medidas para agilizar o processo de recuperação...

México amplia cota livre de taxação para importar frango brasileiro

/com informações Agência Brasil   O governo mexicano ampliou em 55 mil toneladas a cota livre...

“Agora não há por que imaginar que esse mercado não vai crescer”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luiz França. “Temos melhora das condições macroeconômicas, juros abaixo de dois dígitos, desemprego decrescente e, agora, um marco regulatório que dará segurança para realização dos investimentos.” Na semana passada, Elie Horn, fundador da Cyrela, disse ao jornal O Estado de S. Paulo, que, com a aprovação do projeto “nada mais seguraria um novo boom imobiliário”.

Dados da Abrainc mostram que o setor já está passando por uma inflexão, com retorno do crescimento. No acumulado do ano até setembro, houve avanço de 28,5% nos lançamentos.

Continua depois da publicidade

Na visão do presidente da loteadora Alphaville, Klausner Monteiro, os distratos distorciam o mercado, uma vez que obrigavam a devolução do dinheiro já empregado nas obras, comprometendo o fluxo de caixa da empresa. “A aprovação da nova lei vai gerar um ímpeto de injeção de recursos no segmento de média a alta renda”, diz o diretor de relações com investidores da Eztec, Emílio Fugazza. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Circe Bonatelli
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade