Política Regional

Preocupação com o meio ambiente marca discurso de deputados do Sul do Espírito Santo

COMPARTILHE
Divulgação
413

Preocupações com meio ambiente marcaram os discursos dos deputados na sessão ordinária desta semana na Assembleia Legislativa do Espírito Santo. A deputada Cláudia Lemos (PRB) cobrou resultados da Fundação Renova, responsável pelas ações de reparação do desastre ambiental da Samarco, ocorrido em Mariana (MG), em 2015.

Vice-Governadoria apresenta gabinete mais feminino da história do ES

Primeira vice-governadora da história do Espírito Santo, Jacqueline Moraes recebeu o governador Renato Casagrande...

Deputados estaduais aprovam novas datas para promoção da PM no ES

Os deputado estaduais capixabas aprovaram, por unanimidade, o Projeto de Lei Complementar (PLC) 6/2019...

Após denúncia de irregularidades, TCE suspende licitações de obras em Itapemirim

O Tribunal de Contas do Espírito Santo (TCE), suspendeu quatro processos licitatórios para realização...

“Estamos acompanhando por meio de relatos e também através da mídia que nada de concreto tem sido feito em favor dos prejudicados pela tragédia”, afirmou a parlamentar. A deputada se posicionou contra uma proposta feita pela fundação por meio de um Termo de Transação, Quitação e Exoneração de Responsabilidade, que caso seja acatado pelos municípios, impedirá os mesmos de abrirem processo judicial contra a Renova e a Samarco.

A parlamentar também se mostrou preocupada com o monitoramento de barragens no País. “A Agência Nacional das Águas começou a fazer um levantamento sobre a situação das barragens em todo o Brasil, precisamos acompanhar esse trabalho de perto para evitarmos novos desastres”, finalizou.

Continua depois da publicidade

Orla de Piúma

Já o deputado Theodorico Ferraço (DEM) voltou a pedir socorro ao Governo do Estado para a situação da orla do município de Piúma, que sofre com as ações da água do mar. “A água já invadiu dois metros da avenida principal da cidade, isso envergonha quem passa por ali”, lamentou.

“Já passou da hora de ser assinado um convênio para resolver aquela situação. Em Guarapari, a prefeitura realizou uma obra de reparação por cerca de R$ 900 mil que solucionou o problema, em Piúma deve ser necessário cerca de R$ 3 milhões”, finalizou.

*Informações Web Ales

Publicidade