Espírito Santo

Espírito Santo já emite bilhete de passagem eletrônico

COMPARTILHE
Foto: reprodução
170

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) autorizou, no dia 8 de outubro, a emissão do primeiro bilhete de passagem eletrônico (BP-e) do Estado. A operação, realizada pela empresa Gontijo de Transportes, é mais um passo da Sefaz no sentido de tornar digital os sistemas de emissão de documentos fiscais, como já acontece com a nota fiscal eletrônica (NF-e), a nota fiscal do consumidor eletrônica (NFC-e), a nota fiscal avulsa eletrônica (NFA-e), usada por produtores rurais e pessoas físicas não contribuintes, entre outras.

Petrobras confirma plano de investimentos no Espírito Santo durante visita do governador

O governador Renato Casagrande recebeu o sinal positivo da Petrobras sobre investimentos da empresa...

Agerh e fórum das bacias hidrográficas do ES sugerem temas de pesquisa a estudantes da Ufes

Melhores formas de aproveitamento da água, tratamento de esgoto nos municípios, análise dos procedimentos...

Governador Renato Casagrande fala ao vivo sobre as agendas no Rio de Janeiro nesta segunda-feira (21)

O governador do Estado, Renato Casagrande, fará uma transmissão ao vivo em sua pagina...

O bilhete de passagem eletrônico (BP-e) é a versão totalmente eletrônica dos atuais documentos fiscais em papel utilizados pelas empresas de transporte terrestre de passageiros. No Espírito Santo, a implantação do BP-e, que é um modelo nacional, está sendo desenvolvida de forma integrada com as demais secretarias da Fazenda dos estados brasileiros, Receita Federal do Brasil (RFB), representantes das empresas de transporte de passageiros e Agências Reguladoras do segmento de transporte.

Para o secretário de Estado da Fazenda, Bruno Funchal, a implementação do BP-e representa a continuidade na melhoria da relação entre o Fisco, o contribuinte e a população. “Com essa nova tecnologia todos serão beneficiados por meio de processos mais eficientes, gerando economia de recursos para as empresas, facilitando a vida das pessoas e aprimorando o monitoramento das operações comerciais”.

Continua depois da publicidade

Passageiros

A mudança do sistema tem por objetivo simplificar as obrigações tributárias e contábeis das organizações e traz benefícios para todos os envolvidos no processo, com destaque para a simplificação de processos e a segurança nas operações.

Para os usuários dos serviços de transporte terrestre no Estado as mudanças começam pelo documento entregue ao consumidor. Como o Bilhete de Passagem Eletrônico é um documento digital, ao efetuar a compra da passagem de uma empresa que já emite o BP-e, o consumidor receberá um Documento Auxiliar do Bilhete de Passagem eletrônico (DABP-e), que é a representação do documento fiscal.

No DABP-e, além de informações referentes à transação realizada – como descrição da passagem, origem, destino, assento, horário e valor da compra –, o usuário ainda vai encontrar a chave de acesso e um QR Code. “O DABP-e, além de atestar a contratação de uma prestação do serviço de transporte de passageiro, também possui o código de verificação QR-Code para acompanhamento da validade do documento no portal da Secretaria da Fazenda”, explicou o gerente Fiscal da Sefaz, Bruno Aguilar.

Eficiência

Para as empresas de transporte terrestre de passageiros o BP-e reduz erros de escrituração do documento fiscal e aumenta a eficiência. O analista de sistemas da Empresa Gontijo de Transportes, Ernandes Muniz, afirmou que a empresa, que já implementou o BP-e em outros estados, teve ganhos com a mudança do sistema. “A exigência do cupom fiscal como é hoje onera a empresa. Com a mudança de sistema, a empresa ganha em performance e eficiência. É uma alteração que veio ao encontro da vontade das empresas”, salientou.

Muniz destacou que o BP-e também melhora a prestação de serviço ao consumidor e, com isso, a relação com os passageiros. “Onde já adotamos o BP-e registramos a redução de filas nos guichês. Agências que ainda não migraram o sistema já entraram em contato interessadas em adotar o BP-e”. Do dia 8 de outubro até hoje, a Gontijo já emitiu mais de 5 mil BP-es no Espírito Santo.

Para a Receita Estadual as vantagens estão no acompanhamento das operações comerciais em tempo real. Segundo o gerente Fiscal da Sefaz, ao  substituir os documentos fiscais em papel existentes, o BP-e representa a mais recente inovação de documentos fiscais eletrônicos para a fiscalização do transporte de passageiros. O BP-e vai possibilitar maior transparência da informação tributária, bem como a melhoria no processo de controle fiscal, resultando em um célere intercâmbio e compartilhamento de informações entre os fiscos”, afirmou Bruno Aguilar.

Prazos

As empresas de transporte terrestre de passageiros que atuam no Espírito Santo que ainda não iniciaram o processo de migração de emissão de documentos fiscais em papel para Bilhete de Passagem Eletrônico (BP-e) podem entrar em contato com a Secretaria de Estado da Fazenda do Espírito Santo pelo e-mail [email protected].

Atualmente, seis empresas estão em fase de testes e em breve estarão aptas a emitir bilhetes de passagem eletrônicos. Bruno Aguilar ressalta que a obrigatoriedade de adesão ao sistema se dará em 2019, mas orienta as empresas a iniciar o processo de migração do sistema. “Neste período, as empresas podem migrar o sistema paulatinamente, de modo planejado, com intuito de assegurar uma implementação orientada para a melhor adaptação de seus negócios, e mitigação de eventuais problemas inerentes às mudanças em sistemas de gestão”.

 

Publicidade