Esporte Nacional

Gabriel mostra pessimismo em seguir no Santos: 'Possibilidade é muito pequena'

COMPARTILHE
8

Desfalque do Santos na derrota para a Chapecoense na última segunda-feira, pois estava suspenso, o atacante Gabriel está de volta ao Santos para a partida contra o Flamengo, nesta quinta, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pela 34.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas seus dias no clube da Vila Belmiro parecem estar com os dias cotados.

Richarlison marca e Everton arranca empate com o Watford nos acréscimos

O Everton recebeu o Watford nesta segunda-feira e arrancou um suado empate pelo fechamento...

Marta vira 1ª mulher a ter os pés na Calçada da Fama do Maracanã: 'É incrível'

Depois de ter sido eleita pela sexta vez a melhor jogadora do mundo pela...

Gustavo Gómez elogia estrutura do Palmeiras: 'É como jogar na Europa'

O zagueiro Gustavo Gómez afirma que a melhor decisão de sua carreira foi escolher...

Destacado para a entrevista coletiva no CT Rei Pelé, em Santos, nesta quarta-feira, Gabriel voltou a falar em clima de despedida. Seu contrato de empréstimo junto à Internazionale acaba no final deste ano e nada indica que será renovado. “São tempos diferentes, jogadores chegaram… As coisas vão se decidir depois, mas sendo sincero: a possibilidade (de ficar) é muito pequena”, afirmou.

Gabriel voltou ao Santos em janeiro deste ano e se destacou com gols. Só no Brasileirão são 16, o que faz dele o artilheiro da competição. Além de ter sido o maior goleador da Copa do Brasil, com quatro. Mas desconversou quando perguntado se faria esforço para seguir na Baixada Santista.

Continua depois da publicidade

“Difícil falar, as coisas mudaram, mas o esforço feito foi por amor ao Santos. Pela minha vontade de voltar depois de um ano sem jogar, confiando no meu potencial, nos meus companheiros para me ajudar a retomar o bom futebol”, disse o atacante.

O que Gabriel quer é encerrar a temporada com o Santos classificado à próxima edição da Copa Libertadores. Com 46 pontos, o time está na oitava colocação e persegue o Atlético-MG, que fecha o G6 em sexto com 47. “A gente veio de baixo, chegamos tão perto, não tem motivo para desistir. Se formos, é algo para ser lembrado para sempre e comemorado. Não lembro de arrancada assim, mudança foi drástica. A arrancada foi muito bonita, ninguém esperava. Sabíamos que era possível. Muito bom terminar ano brigando por algo que não seja ser rebaixado. Temos grandes jogos e estamos preparados”, completou.

Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Publicidade