Eleições 2018

TRE autoriza candidatura de Luciano Machado a deputado estadual

COMPARTILHE
413

Nesta quarta-feira (12), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), por unanimidade, deferiu a candidatura do ex-prefeito de Guaçuí, Luciano Machado (PV) a deputado estadual. Ele aparecia em lista do Ministério Público Eleitoral como “Ficha Suja”. Os desembargadores indefeririam o pedido de impugnação da promotoria que alegava ausência de filiação.

Para analistas, combate a fake news vai além da eleição

As eleições deste ano foram marcadas por desinformação, em grande parte impulsionada nas redes...

Prazo para justificar ausência no segundo turno vai até 27 de dezembro

/ com informações Agência Brasil   Os eleitores que não compareceram ao local de votação neste...

Prazo para justificar ausência no segundo turno vai até 27 de dezembro

Os eleitores que não compareceram ao local de votação neste domingo (28) e não...

No mês passado o Ministério Público Eleitoral, por meio da Procuradora Regional Eleitoral, entrou com ação de impugnação da candidatura de Luciano Manoel Machado, sob a alegação de que ele não pode concorrer a cargos eletivos, pois foi condenado nos autos do processo nº 000237253.2006.8.08.0020 (020.06.002372-6), pela prática de ato de improbidade administrativa, tendo como uma das penas a suspensão dos direitos políticos pelo prazo de 4 anos após o trânsito em julgado da sentença, ou seja, até 21/10/2019.

A Procuradoria Eleitoral também alegou ausência de filiação partidária de Luciano Machado ao Partido Verde.

Continua depois da publicidade

O candidato, que possui todas as certidões negativas e conseguiu comprovar que estava filiado dentro do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral, teve sua candidatura deferida por 7 a 0.

Tráfico de influência

Luciano Machado, no mês passado, classificou a ação movida contra ele como sendo de “tráfico de influência no Ministério Público Eleitoral”.

“Existem bandidos por trás desta ação, e tem gente com informação privilegiada no Ministério Público Eleitoral, pois antes mesmo de ter a assinatura da procuradora na ação esse documento já estava circulando nas redes sociais. É um bando de bandidos querendo me prejudicar e usando de tráfico de influência tentando me queimar numa ação que não tem nada a ver. Eu é que vou queimar esse bando de bandido fdb desse território nosso”, disse em entrevista por telefone.

Publicidade