Eleições 2018

TRE autoriza candidatura de Luciano Machado a deputado estadual

COMPARTILHE
215

Nesta quarta-feira (12), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), por unanimidade, deferiu a candidatura do ex-prefeito de Guaçuí, Luciano Machado (PV) a deputado estadual. Ele aparecia em lista do Ministério Público Eleitoral como “Ficha Suja”. Os desembargadores indefeririam o pedido de impugnação da promotoria que alegava ausência de filiação.

TRE-ES divulga resultado de julgamento de pedidos de candidatura

O Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES) divulgou na tarde desta terça-feira (17),...

Findes apresenta propostas da indústria a candidatos na quinta (20)

A Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes) realizará, nesta quinta-feira (20),...

Sistema de GPS acompanhará presidenciais, diz Jungmann

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, teve uma reunião com a presidente do...

No mês passado o Ministério Público Eleitoral, por meio da Procuradora Regional Eleitoral, entrou com ação de impugnação da candidatura de Luciano Manoel Machado, sob a alegação de que ele não pode concorrer a cargos eletivos, pois foi condenado nos autos do processo nº 000237253.2006.8.08.0020 (020.06.002372-6), pela prática de ato de improbidade administrativa, tendo como uma das penas a suspensão dos direitos políticos pelo prazo de 4 anos após o trânsito em julgado da sentença, ou seja, até 21/10/2019.

A Procuradoria Eleitoral também alegou ausência de filiação partidária de Luciano Machado ao Partido Verde.

Continua depois da publicidade

O candidato, que possui todas as certidões negativas e conseguiu comprovar que estava filiado dentro do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral, teve sua candidatura deferida por 7 a 0.

Tráfico de influência

Luciano Machado, no mês passado, classificou a ação movida contra ele como sendo de “tráfico de influência no Ministério Público Eleitoral”.

“Existem bandidos por trás desta ação, e tem gente com informação privilegiada no Ministério Público Eleitoral, pois antes mesmo de ter a assinatura da procuradora na ação esse documento já estava circulando nas redes sociais. É um bando de bandidos querendo me prejudicar e usando de tráfico de influência tentando me queimar numa ação que não tem nada a ver. Eu é que vou queimar esse bando de bandido fdb desse território nosso”, disse em entrevista por telefone.

Publicidade