Castelo

Laudo sobre vitamina sairá em 30 dias, diz Laboratório Estadual

COMPARTILHE
Foto: Wanderson Amorim
837

O Laboratório de Referência Estadual para Análises das Áreas de Vigilância Epidemiológica, Sanitária e Ambiental do Estado (Lacen), informou que o resultado da análise da vitamina industrializada que ocasionou a internação do menino Walysson Ozório Amancio, de 7 anos, em Castelo, na última segunda-feira (24), sairá em 30 dias.

Estudante que não recebeu certificado de pós-graduação deve ser indenizada em Castelo

Uma estudante de pós-graduação deve ser indenizada após instituição de ensino negar a entrega...

A coordenação do Lacen disse que recebeu, na tarde desta quarta-feira (26), amostras do produto do mesmo lote para análise.

Na terça-feira (25), a assessoria do Hospital Infantil de Cachoeiro (Hifa) havia informado que o laudo seria feito na capital, no entanto não informou por qual estabelecimento. O pai do garoto, Ananias Amancio, chegou a dizer em entrevista que o Hospital Infantil entregaria um laudo sobre o produto nesta quarta-feira (26), o que não aconteceu.

Continua depois da publicidade

Às 11h de hoje, Ananias disse que estava no hospital para pegar o resultado do laudo. A reportagem foi até a unidade, e em contato com um funcionário do Hifa, o pai do menino e um funcionário da Vigilância Sanitária de Cachoeiro, foi informada que o material não teria sido enviado para laboratório.

O funcionário da Vigilância Sanitária pegou o produto, com autorização de Ananias, e disse que seria encaminhado para o Laboratório de Referência Estadual para Análises das Áreas de Vigilância Epidemiológica, Sanitária e Ambiental do Estado (Lacen).

No entanto, após recolher a caixinha, a Prefeitura de Cachoeiro disse, por meio de sua assessoria, que em contato com o Lacen, a Vigilância Sanitária recebeu a informação de que o laboratório estadual não analisa produtos violados.

A Prefeitura ainda não informou o que será feito com a caixa do produto recolhida no hospital.

A reportagem solicitou um posicionamento oficial do Hospital Infantil sobre o caso, mas não obteve retorno até o fechamento da matéria.

“Achei estranho tudo isso, pois deixei a caixinha aqui e me disseram que iria para análise e que o resultado ficaria pronto hoje. Daí, minha esposa me liga e diz que ficou pronto, passo aqui no hospital para pegar e me dizem que o produto ainda vai ser encaminhado para análise”, comentou Ananias que disse que o filho está melhor e será transferido para Cachoeiro.

Lotes do produto também foram recolhidos pela Vigilância Sanitária de Castelo para análise.

Cooperativa

A Cooperativa de Laticínios Selita diz, em nota, que confia em seu processo de produção, e que seus produtos são fabricados por meio de equipamentos de alta tecnologia e com rigoroso controle de qualidade, que lhe garantem a credibilidade para o consumo, inclusive com disponibilidade de shelf life dos produtos para eventuais análises.

 

Publicidade