Eleições 2020

Criador do RenovaBR reúne candidatos em noite de debate político no ES

COMPARTILHE
263
Advertisement
Advertisement

O empresário Eduardo Mufarej esteve no Espírito Santo, na noite de segunda-feira (10), junto dos capixabas que fazem parte do projeto RenovaBR, um movimento político para desenvolvimento de lideranças. Questionado se em algum momento o projeto poderia se tornar um partido, Mufarej foi enfático. “Não, acho que não. Tem gente de diferentes grupos e ideologias no RenovaBR, mas se elas quiserem se unir para formar um partido estamos à disposição”.

Continua depois da publicidade

O movimento que conta com apoio de grandes empresários do cenário nacional como Jorge Paulo Lemann, Nizan Guanaes, Abílio Diniz, Armínio Fraga, tem ainda Luciano Huck apresentador de TV como incentivador, e escolheu no Estado cinco lideranças expressivas para fazer parte do movimento, o então secretário de Estado de Agricultura, Octaciano Neto (PSDB), que optou por não concorrer, o ex-secretário de Estado de Direitos Humanos Júlio Pompeu (PDT), que pleita uma vaga como deputado estadual, a jornalista Sandra Freitas (PSDB) também candidata ao legislativo estadual, e os jovens Felipe Rigoni (PSB), e Gustavo De Biase (Rede) que concorrem como federais.

O critério de escolha das pessoas segundo o empresário, era baseado em fazer política do jeito certo, com altruísmo, vontade de servir e realizar. “Para renovar é preciso preparar gente boa, dando espaço as pessoas para acreditar na política”, disse Eduardo Mufarej, que preferiu investir em pessoas, do que se tornar candidato.

A jornalista Sandra Freitas voltou da imersão no RenovaBR como uma nova pessoa, e baseia sua candidatura no protagonismo da mulher, e na política que vai servir a sociedade. Júlio Pompeu segue a mesma linha de aprendizado, como professor e pesquisador, dizendo que trouxe de lá a experiência da convivência com a pluralidade de partidos e ideologias.

Continua depois da publicidade

Uma das propostas do RenovaBR é capacitar, nessa linha o candidato Felipe Rigoni que perdeu a visão aos 15 anos de idade, mas que não foi impedido de cursar uma das melhores universidades públicas do Brasil e ainda seguir com os estudos na Universidade de Oxford na Inglaterra, aposta que a desigualdade é combatida com a educação.

“O Renova traz conhecimento, nos deu uma confiança, a gente não está sozinho, é um projeto que vai dar certo. Isso nos deu um sentimento que é mergulhar numa piscina gelada que é a candidatura, dando certo ou errada, a gente tem o apoio de um grupo que quer mudar o Brasil, explicou Rigoni.

Advertisement
Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].