Segurança

Suspeito de fraudar ponto eletrônico, médico paga R$ 50 mil de fiança em Piúma

COMPARTILHE
Imagem ilustrativa
1333

Um médico neurologista, detido em flagrante pela Polícia Civil por suspeita de fraudar o ponto eletrônico em uma Unidade de Saúde em Piúma, pagou fiança de  R$ 47, 7 mil nesta quarta-feira (15) e vai responder o processo em liberdade. O médico, que é bolsista do Programa Mais Médico do Governo Federal, atua na unidade “Vitorio Bossato”, em Piúma.

Homem é morto a tiros na frente da esposa em Brejetuba 

Um homem de 54 anos foi morto a tiros na frente da esposa e...

Incêndio criminoso deixa residência parcialmente destruída em Cachoeiro 

Uma residência, localizada na rua Cabo Taveiras, no bairro Santa Cecília, em Cachoeiro de...

Caminhoneiro de Itapemirim morre em grave acidente na BR 101  

Um grave acidente na noite deste domingo (20), na BR 101, em Itamaraju, na...

O profissional foi detido na tarde de ontem, em um consultório de uma clínica particular e levado para a 9ª Delegacia Regional de Itapemirim. O valor da fiança foi fixado pelo juiz da 2ª Vara da Comarca de Piúma. Segundo o delegado de plantão, o médico vai responder pelo crime de inserção de dados falsos em sistemas de informação.

Segundo as investigações, o profissional adiantava o relógio de ponto para sair mais cedo do expediente, e depois atrasava para que os outros profissionais pudessem bater o ponto normalmente. Ainda há suspeita de que o médico tenha deixado de ir trabalhar e batido o ponto como se estivesse cumprido o horário no posto.

Continua depois da publicidade

Outros profissionais suspeitos de envolvimento no esquema foram ouvidos hoje pela PC de Piúma.

Denúncia

Foi a própria Secretária de Saúde do Município que começou a desconfiar que os profissionais poderiam estar burlando os horários, o que levou o setor de recursos humanos a denunciar o caso à polícia. A Prefeitura divulgou nota oficial sobre o caso e disse vai “abrir uma sindicância e um processo administrativo para melhor apurar os fatos e tomar as atitudes em relação aos profissionais já investigados”.

Veja a nota na íntegra:

“A Prefeitura de Piúma vem a público esclarecer que em detrimento das notícias veiculadas na mídia no dia de hoje (15), com relação à prisão do médico do Programa Mais Médicos, do Governo Federal, já havia tomado providências assim que houve os indícios da fraude no ponto eletrônico. A prisão do médico deveu-se justamente da denúncia feita junto à Delegacia Civil por parte da Administração. As providências administrativas e judiciais, se necessário, estão aguardando o desenrolar do inquérito apurado.

A Prefeitura informou que estará abrindo uma sindicância e um processo administrativo para melhor apurar os fatos e tomar as atitudes em relação aos profissionais já investigados. O delegado estará ouvindo os outros profissionais nesta quarta-feira”.

 

Publicidade