Cidades

Prefeitura pressiona Câmara para aprovação do reajuste das tarifas de água em Alegre

COMPARTILHE
Divulgação
133

O prefeito de Alegre, José Guilherme (PSDB) e o diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) do município, José Gilberto, estiveram na Câmara na sessão da última segunda. Eles apresentaram um panorama da saúde financeira da autarquia que, segundo o prefeito, é crítica.  “O valor empenhado a ser pago até dezembro é de R$1,48 milhão e consta no caixa do SAAE R$500 mil. Vamos ficar devendo ainda se não houver aumento na arrecadação”, afirmou Zé Guilherme.

Cachoeiro inaugura nova pista de bicicross no bairro Village da Luz

Neste domingo (21), os esportes sobre duas rodas movimentaram Cachoeiro de Itapemirim. No bairro...

Centro Administrativo da Prefeitura de Cachoeiro permanece fechado nesta terça (23)

O Centro Administrativo Hélio Carlos Manhães, da Prefeitura de Cachoeiro, não funcionará novamente nesta...

Professores de Cachoeiro terão curso sobre educação no trânsito

Professores da rede municipal de ensino de Cachoeiro de Itapemirim participarão do curso de...

A saída estaria na aprovação do Projeto de Lei 003/2018, de autoria do Executivo, que visa reajustar as tarifas de cobrança de água.  O último reajuste, de 3%, foi em 2017 e não acompanhou a inflação. “A defasagem chega a 39% nos últimos 15 anos. Com um reajuste médio de 23,5% daria para equilibrar as contas e investir, até dezembro”, disse o diretor do SAAE.

José Gilberto apresentou o balanço financeiro do primeiro semestre e a prospecção para o segundo. De janeiro a junho, entre arrecadação e despesa, restaram nos cofres da autarquia R$ 181 mil. E, para o segundo, devem ficar cerca de R$ 106 mil. “Isso se não houver nenhum imprevisto, nem aquisição de material de trabalho ou estourar uma barragem por exemplo. Não dá para investir em serviços para a população da forma como está”, desabafa o diretor.

Continua depois da publicidade

Seguindo a tabela de valores do metro cúbico de água do SAAE, com a aprovação do projeto, o valor mais baixo em residências (referente ao consumo de 0 a 10m³)  o reajuste será de 22,7%. Quem consome mais, entre 41 e 999m³, também pagará mais, Neste caso, o reajuste será de 32%.

“Hoje, o faturamento mensal do SAAE é de R$ 323 mil. Por lei municipal, repassamos 3% dessa receita bruta ao Fundágua, anualmente. Este ano já repassei R$ 77 mil, por ser imposição do Ministério Público. Portanto, há uma série de fatores que implicam na necessidade de aumentar a arrecadação”, explica o diretor do SAAE. 

Leilão

Durante a sessão de segunda, a Câmara aprovou um projeto que autoriza o SAAE a leiloar materiais sem função com o propósito de investir o arrecadado no orçamento deste ano.

“É possível que consigamos arrecadar aproximadamente R$ 45 mil reais, valores que ajudarão com a tocar o resto do ano. Na medida do possível, investir esse valor para melhorar o serviço prestado à população”, conta José Gilberto, diretor do SAAE.

Entre os itens que serão colocados no leilão estão um caminhão-pipa, registros, caixas d’água, computadores e notebooks usados e dois veículos.

Publicidade