Eleições 2020

Marina sobre aborto: 513 pessoas não podem decidir por 200 milhões

COMPARTILHE
Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil
109
Advertisement
Advertisement

A candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, fez na noite desta segunda-feira, 27, uma fala enfática em relação à posição dela sobre o aborto. Mesmo sendo contrária, ela reiterou à Record TV que qualquer avanço além da lei atual deve ir a consulta popular.

Filiado ao partido de Mourão, Jovelino Schiavo quer disputar a Prefeitura de Cachoeiro

Filiado ao PRTB, partido do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, o consultor ambiental de...

Programas de rádio e TV apresentados por pré-candidatos não podem ser transmitidos a partir desta terça

De acordo com o calendário das Eleições 2020, a partir desta terça-feira (30), emissoras...

Pré-candidato a prefeito pelo SD, Nirrô apresenta suas propostas para Alegre; assista!

O entrevistado da semana no quadro Aqui nas Cidades, por meio de videoconferência, foi...

“Vou aproveitar este momento para deixar clara a minha posição sobre este tema”, afirmou Marina à emissora. “Sou contra o aborto. Mas decisão para além do que existe na lei atual deve ir a consulta popular. Não acredito que 513 pessoas podem decidir por 200 milhões.”

A candidata afirmou ainda ser contra o aborto por questões religiosas, éticas e filosóficas. “O aborto não pode ser tratado como método contraceptivo”, afirmou.

Advertisement
Continua depois da publicidade

A posição da candidata sobre o tema é vista com resistência em setores que já a apoiaram. O pastor Silas Malafaia, que votou em Marina em 2014, passou a apoiar Jair Bolsonaro (PSL) e criticou reiteradas vezes a ex-senadora nas últimas semanas. Para ele, um “cristão de verdade” não vota nela.

Mateus Fagundes
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.