Cidades

Itapemirim economiza mais de R$ 17 milhões após decreto de contenção de despesas

COMPARTILHE
273

Após o decreto 1.353 ser criticado por uns ou ainda incompreendido por outros, ninguém pode desconsiderar os números de seu resultado parcial. Em pouco mais de uma mês de iniciadas as contenções de despesas, a Prefeitura Municipal de Itapemirim economizou mais de 17 milhões de reais, (R$17.692.689,20, para sermos mais precisos) sem que isso trouxesse qualquer prejuízo para o bom andamento da máquina pública e atendimento da população nos serviços e programas oferecidos pela gestão.

Prefeito de Marataízes terá que devolver dinheiro aos cofres públicos por superfaturamento no serviço de transporte de pacientes

Em Instrução Técnica Conclusiva 04540/2019-8, o Controle Externo de Fiscalização do Tribunal de Contas...

Praça Jerônimo Monteiro recebe ato de Combate à Violência Contra a Mulher na próxima segunda (25)

O Conselho Municipal do Direito da Mulher, por meio da presidente, Marilene Depes, convoca...

Distribuidora de energia deve indenizar criador de aves exóticas de Ibatiba em R$ 30 mil após apagão

Um criador de aves exóticas deve ser indenizado em mais de R$30 mil, após...

A proposta foi cortar na própria carne. Além da redução da aquisição de suplementos diversos, foram praticamente abolidos os gastos com diárias, coffee break e horas extras, por exemplo. A única exceção para concessão de diárias, no decreto, seria para o chefe do poder executivo no exercício de suas plenas funções. Contudo, antes mesmo deste decreto, o prefeito do município, Dr. Thiago, nunca fez o uso desta sua prerrogativa.

Quando o decreto em questão foi publicado, em meados do mês de maio, a prefeitura contava com pouco mais de 25 milhões de reais em caixa, ou seja, estava longe da tal “falência” como disseram as más línguas. Acontece, na verdade, que, ainda assim, os gestores optaram foi por uma medida protetiva da maquina pública.

Continua depois da publicidade

O Secretario de Integridade Governamental e Transparência, Dr. Luiz Henrique Abaurre, afirmou, ainda naquele período, que o mencionado Decreto se tratava de uma medida moralizadora. “Precisamos tomar as rédeas das contas públicas. Essa é uma cobrança feita pela sociedade. A contenção de despesas no presente é de olho no futuro” afirmou Abaurre.

O decreto tem validade, a princípio, até 31 de agosto deste ano, contudo já é possível perceber na prática o fruto vistoso, palpável e palatável desta salutar economia feita pelo município.

As Secretarias de Administração das Regionais têm realizado mutirões de melhorias estruturais nas localidades do interior com objetivo de recuperar estradas danificadas pelas fortes chuvas na região, ajudando assim no escoamento dos produtos rurais, ali cultivados, bem como no transporte público local.

Outro destaque, fruto desta economia, é o conjunto de obras na rodovia Rafael Vale dos Reis, em Campo Acima, logo na chegada do município. Além da troca das tubulações da rede de água potável foi retomada a instalação da rede de esgoto, há muito já paralisada e a retirada do antigo calçamento para instalação dos blocos de concreto, os chamados pavies.

Estas e outras intervenções, como em Itaipava, na rua Leopoldino Rocha, tem sido realizadas pela própria Secretaria Municipal de Obras e Urbanismo, ou seja, não houve contratação de nenhuma empreiteira.

Segundo o prefeito do município, Dr. Thiago, este é o período em que todas as secretarias estão trabalhando integradas com responsabilidade técnica e fiscal, atentas e pactuadas com as normas de controle e transparência do município. “Itapemirim é muito mais que transparente, é integrada. Integrada com a população, integrada com o governo do Estado, integrada com o que é justo e necessário” concluiu.

Publicidade