Economia

Exportação de carne para os EUA pode ser retomada até junho, diz ministro

COMPARTILHE
76

MARCELO TOLEDO

Governo admite que concessões de aeroportos e ferrovias não saem este ano

Após meses de promessas e constantes revisões de cronogramas, o governo jogou a toalha...

BNDES terá novo procedimento para análise de crédito

Com o objetivo de tornar mais ágil a concessão de crédito, o Banco Nacional...

Orçamento tem pleitos emergenciais de R$ 1,4 bi

Na disputa pelos recursos do Orçamento, os ministérios fizeram uma lista de pedidos que...

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) – O Ministério da Agricultura espera que até o final do semestre o Brasil volte a exportar carne “in natura” para os EUA.

A afirmação foi feita pelo ministro da pasta, Blairo Maggi, em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), onde visita a Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação) nesta sexta-feira (4).

Continua depois da publicidade

Se o prazo se confirmar, as exportações serão retomadas mais de um ano após a suspensão. Os EUA anunciaram em 22 de junho do ano passado a suspensão de toda a importação de carne bovina “in natura” do Brasil devido a preocupações sobre a qualidade do produto.

A decisão dos EUA foi uma reação ao aumento dos problemas sanitários com o produto brasileiro. Segundo o Departamento de Agricultura americano, 11% de toda a carne bovina “in natura” exportada pelo Brasil desde março de 2017 foi barrada por “preocupações com a saúde pública, condições sanitárias e problemas com a saúde dos animais”.

O índice, ainda conforme o governo dos EUA, era muito maior do que a média global, de 1%.

“A bola está hoje com os EUA. Temos uma missão viajando para lá e todos os documentos, todos os questionários, todos os pedidos, foram respondidos”, disse Maggi.

Ele disse esperar que todos os problemas sejam resolvidos e que até o final do semestre o Brasil volte a exportar para os EUA. “É nosso desejo e estamos trabalhando para isso”, afirmou o ministro.

Publicidade