Cidades

Definidos locais para instalação de antenas de telefonia na zona rural de Ibatiba

COMPARTILHE
700

As comunidades de Alto Inês e Criciúma, localizadas na zona rural do município de Ibatiba, na Região do Caparaó, foram visitadas nesta quinta-feira (8) pela empresa de infraestrutura de telecomunicações que será responsável pela instalação das antenas de telefonia móvel nestas áreas.

Confira a previsão do tempo em Cachoeiro e região neste sábado (19)

A previsão do tempo para sábado (19) será de sol entre nuvens, com possibilidade...

Escola Família Agrícola de Cachoeiro abre matrículas para 2020

Estão abertas as inscrições para matrículas novas na Escola Família Agrícola de Cachoeiro de...

Rock n’ roll e estreia nas telonas são destaque da agenda cultural do Sul do ES

O final de semana será de MotoFest em Itapemirim. Serão três dias de programação...

Durante a visita, Antônio Carlos Chagas, representante da empresa, relatou que era momento de buscarem a melhor área para alocar as torres. De acordo com Chagas, o sinal tem um raio de cobertura de cinco quilômetros e transmitirá sinal de telefonia e de internet. “Em Criciúma vai atender toda a vila e algumas áreas próximas. E, em Alto Inês, além da vila o sinal vai chegar a BR 262”, explicou Antônio Carlos.

Essas duas Comunidades estão entre as localidades rurais capixabas contempladas com investimentos estaduais através do programa Campo Digital, da Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag). No total, serão instaladas 100 antenas de telefonia móvel rural em todo o Estado do Espírito Santo, somando um investimento de R$ 30 milhões.

Continua depois da publicidade

“As localidades que vão receber as antenas foram definidas com base em critérios técnicos de serviço e quantidade de população beneficiada. A comunicação digital permite que o produtor rural consiga, por exemplo, saber a cotação do café em tempo real, negociar, vender, trocar informações e muitas outras atividades. Esse modelo que vamos adotar fortalece a agricultura capixaba”, destacou o secretário da Seag, Octaciano Neto.

Publicidade