Cidades

Bebê de Venda Nova deixa hospital após passar por cinco cirurgias e ficar mais de dois meses na Utin

COMPARTILHE
18626

O bebê nos braços demonstrava que a família estava se despedindo do hospital. Depois de dois meses e 19 dias internada na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (Utin) do Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, Alice recebeu a tão sonhada alta hospitalar. Para a mãe, um verdadeiro milagre.

Mudança de temperatura aumenta atendimentos no PA da Santa Casa de Cachoeiro

Quando a temperatura muda e o clima fica mais ameno é que os casos...

Melhor Idade participa do lanche caipira em Bom Jesus do Norte

A Prefeitura de Bom Jesus do Norte, através da Secretaria Municipal de Assistência Social,...

Lei Rubem Braga 2019 tem 84 projetos concorrentes em Cachoeiro

Oitenta e quatro projetos culturais vão concorrer à seleção do edital 2019 da Lei...

“Por muitas vezes pensamos que ela não sobreviveria. Todos os dias, lutávamos uma guerra pela vida da Alice. Ela nasceu com uma doença grave, precisou de cinco cirurgias e de cuidados especiais. Eu agradeço a Deus a oportunidade de ter vindo para este hospital, a assistência que recebemos aqui e a vitória da Alice”, completou Alline Lacerda, mãe da pequena paciente, que recebeu alta no último dia 19 de janeiro.

Continua depois da publicidade

A família de Venda Nova do Imigrante foi encaminhada à Maternidade de Alto Risco do Hospital Estadual Dr. Jayme após descobrir, durante o pré-natal, que o feto apresentava o crescimento intrauterino restrito, ou seja, o bebê não se desenvolvia na barriga da mãe. Na unidade, a gravidez precisou ser interrompida e a Alice nasceu com enterocolite necrosante, uma doença que afeta o intestino causando perfuração, inflamações e até necrose de partes do intestino.

“A Alice apresentava muito baixo peso para a idade gestacional dela, por isso, a indicação era de uma cesárea de urgência. Ao nascer, descobrimos que a bebê tinha enterocolite necrosante, uma doença gastrointestinal grave. Doença de alto risco no período neonatal”, explicou a coordenadora da Utin do Hospital Dr. Jayme, a médica Silvia Louzada.

Com o diagnóstico, a equipe médica iniciou os cuidados necessários, incluindo cinco cirurgias pediátricas. Durante o tempo de internação, e por causa da gravidade do quadro, Alice apresentou ainda desconforto respiratório com a síndrome do pulmão úmido.

“Apesar de sermos profissionais da área, estudarmos os assuntos e entendermos que os procedimentos são os melhores para os pacientes, casos como o da Alice nos comovem muito. Ela precisou de inúmeras reabordagens cirúrgicas, ficou impossibilitada de se alimentar por 35 dias, situações difíceis, mas que no final ela conseguiu superar”, comemorou a médica coordenadora da Utin.

Publicidade