Bares

Mais de 30 tipos de cervejas artesanais no Festival de Inverno de Guaçuí

COMPARTILHE
264
Advertisement
Advertisement

Terceiro maior mercado consumidor de cerveja do mundo, o Brasil vem aumentando o consumo e a produção de cervejas artesanais. Segundo dados, o mercado de cervejas artesanais vem apresentando crescimento anual entre 30% e 40%.

Continua depois da publicidade

O Festival de Inverno de Guaçuí, que acontece entre os dias 14 a 18 de junho, durante o feriado de Corpus Christi, contará com quatro cervejarias: Nativa, King Bier, Biere Moulin e Kombeer/Besten. Mais de 30 estilos de cervejas estarão disponíveis para o público do Festival: IPA, Blond, Wit Beer, Red Ale, Weizen, Pilsen, Stout, Abadia, Strong Ale, entre outros.

Nativa

Prata da casa, a Nativa é uma cerveja produzida nas montanhas do Caparaó, na cidade de Guaçuí. Em sua fabricação são utilizados ingredientes de qualidade, com destaque para a água das nascentes da região, que confere o sabor e aroma único à cerveja.

Continua depois da publicidade

O nome “Nativa” faz menção aos primeiros habitantes da América Latina e a diversidade de espécies da flora e da fauna desses territórios. Estes povos se alimentavam basicamente de produtos oriundos da natureza e faziam bebidas fermentadas genuinamente tropicais.

A cerveja começou a ser produzida em 2013 e hoje conta com uma equipe formada por cinco pessoas Felipe Spala Aguiar, Paulo Cesar Aguiar Junior, Joimar Luiz Lino, Lucas Spala Lino e Felipe Palumbo Rodrigues. A Nativa produz uma média de 150 litros por produção e 1200 litros por mês e levará cinco estilos de cerveja para o evento.

As receitas são criações exclusivas da cervejaria e montadas seguindo os padrões determinados para cada estilo. Atualmente produz cinco estilos: American IPA, Red Ale, Summer Ale, Blond Ale e Weizen, além de um estilo sazonal que varia de acordo com as estações do ano.

Advertisement
Continua depois da publicidade

 

Bière Moulin

Tendo início como um hobby entre amigos, em 2013, a Bière Moulin deriva de um sobrenome oriundo de Cantão, na Sauíça, onde se fala a língua francesa, do cervejeiro da empresa. Traduzindo ao pé da letra Bière significa cerveja e Moulin significa Moinho.

O casal e sócios Rodrigo Moulin e Martina Martins produzem a cerveja profissionalmente desde agosto de 2015, terceirizando a produção em cervejarias já consolidadas. A produção é feita em uma fábrica devidamente autorizada e estruturada, fazendo aproximadamente 1.000 litros de cada vez, levando cerca de 21 dias para ficar pronta.

Com receitas exclusivas e sabores diferenciados, a Bière Moulin procura criar versões únicas para cervejas de estilos já conhecidas mundialmente, abusando da criatividade e ousadia na hora da preparação. Tendo um grande destaque para a Belgian Blond Ale com Pimenta da Jamaica, dourada e aromática e a India Pale Ale, avermelhada e amarga, a cervejaria levará para a “pérola capixaba” pelo menos seis estilos de suas iguarias.

E promete uma surpresa para o público. Sempre que presente em um festival, a Bière Moulin procura levar alguma cerveja convidada que atende o critério de seleção. No Festival de Inverno de Guaçuí não será diferente.

KingBier

A KingBier nasceu com os sonhos de pessoas admiradoras das cervejas especiais e dos quais um dos sócios já desenvolvia receitas e produção caseira. Ao criarem a empresa tinham como visão trazer ao mercado um produto diferenciado em qualidade e rico em sabor respeitando os padrões das escolas normativas existentes.

Fabricada em Vila Vila, a cerveja foi fundada em outubro de 2013 e tem capacidade para produzir até doze mil litros de cerveja por mês, tornando-se a maior cervejaria artesanal do Espírito Santo. É comandada por um trio que decidiu transformar a paixão pela bebida em um negócio. À frente da cervejaria, estão os sócios Paulo Victa Alves, Leonardo Benjamim e Michel Rodney Rodrigues de Lima.
Com participação em renomados festivais de cerveja artesanal em todo o Brasil, como o Festival de Cerveja em Blumenau, a KingBier levará para Guaçuí seis estilos de cerveja: Just Black Dry Stout, U.S.S Arizona American IPA, King Weissbier (cerveja de trigo), King Blond Ale, King English IPA, King Pilsen, King Imperial (Russian Imperial Stout) e a Siciliana White Ipa que foi premiada no festival Brasileiro de cervejas. A Siciliana White Ipa é a única cerveja no Estado do Espírito Santo a ter uma premiação a nível nacional (Medalha de Prata).

Kombeer/Besten

Com uma produção de 100 litros por brassagem a Kombeer, que começou a ser feita em 2015, produz em torno de 800 a 1200 litros por mês. Em representação da cervejaria Besten, do Rio de Janeiro, que produz cerca de 25 mil litros por mês, o atendimento para o publico se completa com a parceria.

Com receitas elaboradas entre eles, cada estilo é estudado e feito inúmeros testes antes de ser finalizada. A produção sempre foi feita com um sócio. Hoje Jean Soares e Bruno Resende são os responsáveis pela cerveja. Para a comercialização é utilizada uma Kombi 1974, com quatro bicos, ou quando feita pela Besten, em uma Splinter de oito bicos.

Doze estilos de cervejas artesanais serão levados para o evento. A Kombeer produz em torno de 10 tipos e a sua parceira Besten cerca de 12 estilos: American IPA, American Pale Ale, a belga Blond, a Golden Ale, uma cerveja clara e refrescante, a tradicional Pilsen, Juice IPA, que é a tendência americana, a Stalt, uma cerveja escura e mais incorpada, cerveja de trigo, entre outras. Pela Besten os destaques são as cervejas frutadas e uma Tripel, com 9% de teor alcoólico, que já foi premiada a melhor cerveja do Brasil.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here